tfionline Faça seu login

Fevereiro 7, 2022

Viver uma Vida Transformada

Peter Amsterdam

[Living the Transformed Life]

A salvação e a presença do Espírito Santo transformam nosso espírito; rompem o poder do pecado sobre nós e permitem o crescimento espiritual que muda a nossa natureza e essência. O processo que faz com que nossos pensamentos, palavras, ações e atitudes passem a refletir Cristo não acontece espontaneamente, mas exige uma transformação interior consciente. Foi o que ensinou o Apóstolo Paulo, ao escrever: “Quanto à antiga maneira de viver, vocês foram ensinados a despir-se do velho homem, que se corrompe por desejos enganosos, a serem renovados no modo de pensar e a revestir-se do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e em santidade proveniente da verdade.”[1]

Então vem a pergunta: O que fazer para nos renovarmos no modo de pensar e nos revestirmos do novo homem?

Um fator-chave é acreditar no que as Escrituras ensinam. Abraçar uma crença que resulta em uma transformação contínua é mais que um mero assentimento ou reconhecimento intelectual, mas é uma crença que se torna o alicerce de como vivemos. Uma coisa é acreditar que Deus existe, mas é bem diferente ter o Criador como centro de nossas vidas, para que nossas decisões e ações sejam baseadas no nosso relacionamento com Ele. Nesse contexto, crer significa ter uma convicção e o compromisso de viver segundo ela.

Incluímos a seguir algumas crenças básicas de maior importância para se tornar como Cristo:

Crer em Deus: As Escrituras ensinam que Deus existe e que, a partir do nada, criou o mundo (o universo) e tudo que nele há. Ele é pessoal; trino (um Deus em três pessoas); Ele está ativamente envolvido com o mundo criado[2], apesar de não ser parte dele[3]; Ele ama o mundo e Se importa por ele e seus habitantes; Ele nos ama e Se importa por nós, Seus filhos,[4] e está em nossas vidas diárias; Ele é bom e vivenciamos Sua bondade em nossas vidas. E apesar de nem tudo na vida ser bom e nem sempre entendermos o porquê de certas coisas, confiamos nEle, pois Seus caminhos são mais elevados que os nossos.[5]

Nosso Criador deseja que tenhamos um relacionamento amoroso com Ele. Entretanto, o pecado e os cuidados desta vida competem por nossas afeições e desejo. Há muitas distrações que afastam nossa lealdade, atenção e desejo de Deus. Vemo-nos com frequência diante da escolha de ficarmos firmes à nossa adoração a Deus, ou cedermos às coisas que nos afastam dEle e fazer delas nosso objeto de adoração. Cientes de que Deus quer que resistamos o mal, buscamos Sua graça e poder, para fazermos nossa parte para resistir e superar o pecado em nossas vidas.

Redenção: Por causa do Seu amor pela humanidade, nosso amoroso Deus criou uma maneira de nos restaurar à convivência com Ele. Apesar de nossos pecados, nossas vidas em rebelião contra Ele, Ele criou uma maneira de sermos perdoados e reconciliados. Ao aceitarmos Cristo como Salvador, tornamo-nos filhos de Deus. Graças à bondade, ao amor e ao desvelo de Deus, temos vida eterna.[6]

Em Cristo: Pela salvação estamos “em Cristo.” “Mas vós sois dele [Deus], em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção.”[7] Estar em Cristo significa ser um membro do corpo de Cristo,[8] ser um de Seus filhos e herdeiro do Seu reino[9], um templo da habitação de Deus,[10] uma nova criação[11] e um cidadão do céu[12]. Saber isso produz a confiança que somos parte da família de Deus: Ele é nosso Pai, Jesus é nosso Salvador e o Espírito Santo habita em nós. Somos seres humanos perdoados e amados pelo Deus Todo-poderoso. Por estarmos em Cristo, podemos expressar quem somos nEle sem ter de provar quem somos.

Vida eterna: Ter vida eterna significa que viveremos para sempre. As Escrituras revelam que quando morremos, nossos corpos retornam para a terra, mas nossos espíritos continuam vivendo. Ele nos ensina que haverá um julgamento, mas os que receberam Cristo foram perdoados pelos seus pecados e serão vistos por Deus isentos de culpa no dia do julgamento.[13]

É pela leitura, pela fé e pela prática dos ensinamentos da Bíblia — a Palavra de Deus — que aprendemos as verdades nela contidas. Nas suas páginas, Deus nos permite conhecê-lO, Seu plano de salvação e nos ensina como viver segundo Sua vontade. A Bíblia define nossas crenças e orienta nossas ações. Por ela Deus ensina como nos relacionarmos com Ele, o que é certo e errado, o que é agradável aos Seus olhos e o que não é. Conforme a verdade de Deus nos é revelada, torna-se a lente pela qual vemos nosso mundo, um guia para escolhas que agradam a Deus, as atitudes certas e a vida em aliança com Deus.

Essas crenças básicas (juntamente com muitas outras ensinadas nas Escrituras) se tornam as pedras do alicerce para nossas decisões e ações; definem nossa visão de mundo e, assim, orientam nosso viver. São como um mapa que nos guiam na direção certa. Com o tempo, nossa maneira de pensar, sentir e agir se assemelha mais à de Cristo. A causa-raiz dessa transformação se baseia no que o próprio Deus revelou nas Escrituras. Somos transformados porque acreditamos no que Deus, pelas Escrituras, nos disse e agimos com base nessa crença.

Quando verdadeiramente acreditamos em um Deus amoroso, pessoal e todo-poderoso, então confiamos nEle e cremos que Ele pode, quer e irá cumprir Suas promessas. Ele nos guiará e, se vivermos em conformidade com os princípios encontrados em Sua Palavra, temos a confiança de estarmos operando segundo Sua vontade e receberemos os respectivos benefícios, nesta vida e na eternidade.

Quando acreditamos que Deus é Pai, Filho e Espírito Santo, reconhecemos que o próprio Deus é uma comunidade amorosa e perfeita. Entender que somos criados à Sua imagem e semelhança é reconhecer que devemos viver em amor e harmonia. Nossa família, nossos amigos, colegas de trabalho, vizinhos, outros crentes e as pessoas na nossa cidade, país e no mundo são membros de comunidades às quais pertencemos. Somos chamados a amar os outros como amamos a nós mesmos e a tratá-los como queremos ser tratados.

Quando acreditamos que Deus ama cada ser humano como alguém criado à Sua imagem, entendemos que todos têm valor. Isso gera em nós respeito por nós mesmos e pelos outros, independentemente de sua religião, raça, status econômico, convicção política ou qualquer outra característica que os diferencie de nós.

Quando entendemos que Deus é santo e que nada impuro pode vir à Sua presença, vivemos gratos a Ele por nossa redenção. Se Ele não tivesse criado um caminho para a salvação por meio da morte e ressurreição de Jesus, não teríamos um relacionamento pessoal com Ele, não haveria salvação e não teríamos o Espírito Santo. Receberíamos o salário do pecado, que é a morte, em vez da dádiva de Deus, que é a vida eterna.[14] Entretanto, por causa da Sua dádiva para nós, podemos viver em alegria, saber que temos uma relação com Deus e que nossos pecados estão perdoados. Em gratidão, queremos agradar a Ele, refletir Seu Espírito, Seu amor pelos outros e queremos compartilhar as boas novas da salvação com eles. Tendo sido perdoados de nossos pecados, perdoamos os que pecam contra nós.

Estar em Cristo nos dá valor próprio, não baseado em nossas realizações, mas no valor que temos para Deus. Não precisamos provar coisa alguma nem rebaixar os outros para alimentar nosso ego ou melhorar nossa posição.

Saber que temos vida eterna muda a maneira como vemos o presente. A certeza de que viveremos com Deus pela eternidade deve nos encher de esperança nos tempos de provação. Por mais difícil que seja a vida, sabemos que este tempo presente é apenas um momento comparado à eternidade.

Se verdadeiramente cremos nos ensinamentos da Bíblia e nos empenharmos para aplicá-los em nossas vidas, vivenciaremos uma transformação contínua. Se verdadeiramente cremos no que as Escrituras dizem e alinhamos a essa crença nosso coração, mente, alma e espírito, então nossos pensamentos, desejos, sentimentos, decisões e ações exteriores refletirão essas crenças. É vivendo segundo essas crenças que nos tornamos mais como Jesus.

Publicado originalmente em agosto de 2016. Adaptado e republicado em fevereiro de 2022.


[1] Efésios 4:22–24.

[2] Atos 17:28.

[3] 1 Reis 8:27.

[4] 1 João 3:1.

[5] Isaías 55:9.

[6] João 3:16.

[7] 1 Coríntios 1:30.

[8] 1 Coríntios 12:27.

[9] Romanos 8:17.

[10] 1 Coríntios 3:16.

[11] 2 Coríntios 5:17.

[12] Filipenses 3:20.

[13] 1 Coríntios 1:7–8.

[14] Romanos 6:23.