tfionline Faça seu login

Fevereiro 7, 2017

A Vida Imbatível

Compilação

[The Unconquerable Life]

“Que diremos, pois, diante dessas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?”—Romanos 8:31[1]

*

Se estamos em Cristo e predestinados à Sua semelhança por um Deus soberano e onipotente, faz sentido Paulo perguntar, “quem será contra nós?”. A realidade é que são muitas as coisas que podem estar contra nós, mas quais? Paulo faz outra pergunta: “Quem fará alguma acusação contra os escolhidos de Deus?”[2] A realidade é que existem muitas acusações e condenações contra nós, mas quais?

O segredo para ter serenidade e sentir-se seguro em um mundo com tantos fatores agindo contra nós é a dependência em Deus, a certeza de que todas as coisas contribuem para o bem. Se Deus é por nós, ninguém poderá ser contra nós, porque estamos nos planos de Deus, sendo moldados à imagem e semelhança de Cristo, que, por meio da Sua morte, sepultamento e ressurreição já derrotou qualquer ameaça, inclusive a morte. Paulo diz: “Aquele que não poupou a seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como não nos dará juntamente com ele, e de graça, todas as coisas?”[3] Deus não nos deixa incapacitados e perdidos. Ele nos deu Jesus, que nos fortalece e sustém em toda dificuldade.

Todos nós enfrentamos situações tensas e conflitos. Mas podemos parafrasear o versículo: “Se Deus é por nós, não faz diferença nada que venha contra nós!?” Enquanto cristãos, devemos ter a mentalidade de que, “Se Deus está do meu lado, estou seguro, não importam os reveses”. A questão não é conflitos e tensões na vida, pois isso faz parte da luta da vida. A questão é a nossa reação a isso. Paulo diz: “Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós.”[4] A  nossa resposta deve ser de vitória já conquistada. Por quê? Porque Deus está em nós.

Paul então pergunta: “Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?”[5] Ele diz: “Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou”, porque “nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.”[6] É uma relação de amor com Jesus Cristo, na qual nos colocamos nas mãos de um Deus soberano e onipotente que nos deu uma vida imbatível por meio do Seu Filho.—Charles Price

 

Sobreviver ao desapontamento

É inegável que a vida nem sempre transcorre como imaginamos. E quando isso acontece, o que fazer para sobreviver ao desapontamento? Como passar por esses períodos?

Muitas vezes, as ocasiões de maior desapontamento são quando as pessoas nos falham, ou pelo menos temos essa percepção. As pessoas nos magoam profundamente. Às vezes, sabem o que estão fazendo, outras vezes estão apenas fazendo o melhor que podem com o que têm em mãos. Qualquer que seja o caso, o grau de satisfação e felicidade na vida não depende dos outros, mas de Deus. É claro que, se dependermos apenas de outras para certas coisas, será doloroso quando eles ficarem aquém do esperado. Mas, o sucesso verdadeiro ou a alegria na vida não deveriam depender de pessoas. Nós não temos que prolongar o sofrimento pensando no que outros fazem ou deixam de fazer por nós, porque, em última análise, a nossa recompense está nas mãos de Deus.

É uma grande desilusão quando achamos que falhamos a alguém, talvez por descuido, ou apesar do nosso maior esforço. Podemos achar que falhamos, mas não foi o que aconteceu. E ficamos tristes, nos torturando. O remorso e sentimento de culpa nos assolam a alma. “Ah, se eu ao menos tivesse…” “Se eu tivesse feito isto e aquilo…” “Por que não fiz…”. É um peso que não conseguimos e não deveríamos carregar.

Mesmo tendo que arcar com as consequências de decisões erradas, Deus continua do nosso lado. “Embora eu tenha caído, eu me levantarei. Embora eu esteja morando nas trevas, o Senhor será a minha luz.”[7] É maravilhoso saber que, mesmo nas trevas da nossa criação, Deus continua ao nosso lado, bem como a Sua luz. Acho que isso é o que nos faz amá-lO ainda mais. A Sua graça. Entendemos que não somos merecedores ou dignos da Sua glória, no entanto Ele nos ama e aceita. Até mesmo em um grande fracasso, Deus ocasiona algo bom, contanto estendamos a mão humildemente a Ele.

Cometemos o erro de esperar demais de nós mesmos, de outros, e da vida, quando deveríamos esperar de Deus. Ele muitas vezes permite situações difíceis para nos abençoar de alguma forma. Se aceitarmos essa possibilidade em tudo que acontecer, não ficaremos arrasados com as pessoas e situações que, no final, serão usadas para a glória de Deus. Se Lhe entregarmos o nosso desapontamento e dissermos: “Senhor, seja a minha luz, me guie”, a Sua obra se realizará mais rápido…

Lembre-se que, por maior que seja o desapontamento, Deus ainda é a sua luz. Caminhe na luz que Ele lhe dá.—Stormie Omartian

 

Novos sonhos

Todos nós temos planos que não se realizam da maneira como esperávamos, orações que parecem não ter passado do teto, sonhos despedaçados... e nos perguntamos o que deu errado. Seguimos adiante deixando para trás sonhos desfeitos e orações aparentemente não atendidas. Mas muitas vezes eles permanecem gravados em nossa mente, junto com um ponto de interrogação. Por que as coisas não saíram do jeito que eu tinha planejado, esperado ou orado?

O que é um sonho desfeito senão uma ideia de um caminho ou objetivo que pensamos que deveríamos alcançar na vida, mas que nos levou a outro lugar.  Fizemos uma curva em algum ponto, e a vida parece que desmoronou. Ou perdemos o caminho por causa disso.

Sendo os seres humanos imperfeitos que somos, geralmente achamos que falhamos. Começamos a nos culpar, ou aos outros, e a carregar um peso de fracasso ou decepção às vezes por anos. Culpar os outros pode ser um fardo muito pesado, e até abrirmos mão dele e perdoarmos, é capaz de tirar a nossa alegria de tal maneira que a própria vida pode se tornar uma experiência triste e esgotante.

Temos a tendência de julgar as coisas como “sucesso” ou “fracasso”, e isso muitas vezes é uma visão limitada. É como olharmos pelo buraco de uma fechadura e termos apenas um vislumbre, o que confirma, mais uma vez, uma triste aceitação de nosso fracasso. Mas se pudéssemos ver nossas vidas de uma perspectiva mais ampla e completa, tantos outros elementos e cores e destaques estariam à vista, e essa pequena imagem seria transformada na obra-prima maravilhosa que poderia ser e que é aos olhos de Deus.

Se tentarmos entender a Deus ou compreender plenamente o Seu plano para nossas vidas, forçando as coisas a se encaixarem em nossa limitada perspectiva, só vamos decepcionar a nós mesmos e a Ele quando as coisas não acontecerem do jeito que sonhamos ou esperamos. Mas se tivermos a fé para Lhe dar os cacos e confiar que Ele vai usá-los como sabe ser melhor, descobriremos que os sonhos podem ser refeitos e entenderemos que nem tudo está perdido.

Como isso pode acontecer? Quando isso acontece? Segundo a perfeita maneira de Deus fazer as coisas, e em Seu tempo perfeito.

Ele, que é só amor, tem o Seu próprio sonho em relação às nossas vidas. Ele, que tem apenas os nossos melhores interesses em mente, fica esperando com um pincel, pronto para pintar na realidade o Seu sonho de uma vida cheia de toques de luz e misturas de cor, profundidade e textura. É um sonho que não será desfeito. Nós só precisamos confiar e deixar Deus fazer algo lindo com a nossa vida.—Janet Kluck

Publicado no Âncora em fevereiro de 2017.


[1] NVI.

[2] Romanos 8:33.

[3] Romanos 8:32.

[4] Romanos 8:34.

[5] Romanos 8:35.

[6] Romanos 8:37, 39.

[7] Miqueias 7:8.