tfionline Faça seu login

Fevereiro 12, 2019

É Sempre Tempo de Ficar a Sós com Deus

Compilação

[Getting Alone with God Is Always in Season]

A vida pode ficar corrida para qualquer um, e isso certamente não é diferente para os pastores, os quais têm períodos mais intensos de trabalho como o Natal e a Páscoa.

Independentemente da época em que você está agora, é sempre apropriado retirar-se e passar um tempo buscando o favor de Deus em sua vida e ministério.

Se quisermos cumprir a visão de Deus para nossas vidas e ministérios, temos que ouvir continuamente a Sua voz. Devemos acreditar que ouvir Deus diariamente é imprescindível para pastorearmos nossas congregações. Não é apenas um complemento da nossa lista de afazeres, mas uma necessidade para ser um pastor amoroso e eficaz.

O profeta Habacuque diz: “Ficarei no meu posto de sentinela”.[1]

É o mesmo que dizer, Vou ficar a sós com Deus.

Não importa onde você fique a sós com Deus; basta encontrar um lugar. Eu gosto de estar ao ar livre.

Quando os meus filhos estavam crescendo, eu construí um pequeno jardim de oração no morro atrás da minha casa onde eu ia orar e focar em Deus.

Você precisa ter um lugar quieto aonde ir e se encontrar com Deus. Faça com que seja especial e específico para isto.

A Bíblia diz, “Jesus retirava-se para lugares solitários, e orava.”[2] Jesus tinha este hábito, e precisa se tornar um hábito na sua vida.

Se quer ter a visão de Deus e ouvir Sua orientação para cada novo ano e cada nova fase do ministério, precisa se encontrar com o Senhor cada dia.

Deixe Ele estabelecer as suas prioridades.

Jesus disse: “Encontrem um local tranquilo e isolado, de modo que não sejam tentados a interpretar diante de Deus. Apenas fiquem lá, tão simples e honestamente quanto conseguirem. Desse modo, o centro da atenção será Deus, não vocês, e vocês começarão a perceber sua graça.”[3]

Deus quer se encontrar com você. Ele quer que você O conheça tão bem quanto Ele o conhece. Não há nada na sua vida ou na sua igreja que não interesse a Deus.—Rick Warren[4]

*

O pastor tem que ser alimentado pela mão de seu Criador, e a mão de seu Pastor, se quiser alimentar as ovelhas e dar-lhes a mesma paz.

O trabalho principal de alguém que cuida de outros é manter em contato com o Senhor, começar o dia com louvor e comunhão com Ele. Temos que aprender como antes de mais nada descansarmos aos pés do Senhor. O segredo desta calma e paz, descanso, paciência, fé e amor é descansar no Senhor!—Ficar tranquilo perante o Senhor, louvá-lO e buscar o Senhor primeiro. E depois você simplesmente passa isso para outros—é um espírito; você passa essa mesma atmosfera que o envolve.

É por isso que você não pode sequer dar um passo até ter primeiro encontrado este lugar de descanso, calma e doce paz no Senhor, e ter se sentado e tocado sua flauta para o Senhor. Esse doce descanso é um sinal de verdadeira fé, que traz paciência. À medida que seu espírito comunga com o Senhor e está em harmonia com o Senhor, comunica essa paz a outros. Nós consolamos outros com o consolo com o qual somos consolados

Consolamos os outros com a consolação que recebemos de Deus.[5]David Brandt Berg

*

Em várias passagens dos Evangelhos, lemos que Jesus se distanciava daqueles a quem ministrava e até dos Seus amigos e seguidores próximos para devotar tempo a sós em oração e comunhão com Seu Pai. Lemos na Bíblia que, antes de iniciar Seu ministério, Jesus foi levado pelo Espirito Santo para passar quarenta dias sozinho em jejum e oração.[6] Conforme o relato de Lucas, antes de decidir quais dos Seus seguidores escolheria para compor o grupo de doze apóstolos, “Ele subiu ao monte a fim de orar, e passou a noite em oração a Deus. Quando já era dia, chamou a si os discípulos, e escolheu doze dentre eles, a quem também deu o nome de apóstolos.”[7] Quando soube da morte de João Batista, Jesus “retirou-se dali num barco, para um lugar deserto, à parte.”[8] Quando as multidões se juntavam para ouvi-lO e serem curadas, Ele, às vezes, se retirava para lugares desertos, e orava.”[9] Depois de milagrosamente alimentar cinco mil pessoas, disse que Seus discípulos fossem na frente, de barco e, “despedida a multidão, Ele subiu ao monte para orar à parte. Ao cair da tarde, estava ali sozinho.”[10]

Jesus tinha o hábito de se separar para estar sozinho com Deus. Mesmo quando estava muitíssimo ocupado e realizando grandes obras, fazia questão de se afastar de todos para passar tempo exclusivamente com Seu Pai.

“Sendo já tarde, tendo-se posto o sol, trouxeram-lhe todos os que se achavam enfermos, e endemoninhados. Toda a cidade se ajuntou à porta, e Jesus curou a muitos doentes de diversas enfermidades, e expulsou muitos demônios. … Levantando-se de manhã muito cedo, ainda escuro, saiu, e foi para um lugar deserto, e ali orava.”[11]

O tempo dedicado à comunhão exclusiva com o Senhor nos dá a oportunidade de orar e ouvir Sua voz sem distrações. A reclusão nos permite buscar mais eficazmente uma conexão profunda com Deus, sem sermos interrompidos pelos outros, especialmente quando associamos a isso o silêncio, desligando todos os dispositivos de comunicação, tais como telefones, computadores, etc. Com certeza, nem sempre é necessário se afastar de toda forma de barulho e conversa para ouvir a voz do Senhor, pois Ele pode falar conosco em qualquer situação, mas há importantes benefícios na reclusão e no silêncio para quem quer buscá-lO e escutá-lO.—Peter Amsterdam

*

O melhor lugar para renovarmos completamente a nossa mente é no lugar secreto da oração, a sós com Deus. Quando nos distanciamos das coisas temporárias que nos distraem e nos perturbam, e, na presença de Deus, focamos nossa mente nas coisas de Deus, o Seu poder transformador começa a operar em nós, e nos renova e transforma.—Virginia Brandt Berg

Publicado no Âncora em fevereiro de 2019.


[1] A menos que de outra forma indicado, todos os versículos aqui citados foram extraídos da “Bíblia Sagrada” — Tradução de João Ferreira de Almeida — Edição Contemporânea, Copyright © 1990, por Editora Vida.

Habacuque 2:1 NVI.

[2] Lucas 5:16 NVI.

[3] Mateus 6:6 A Mensagem.

[4] http://pastors.com/season-for-prayer.

[5] 2 Coríntios 1:4.

[6] Então Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. Depois de jejuar por quarenta dias e quarenta noites, teve fome. (Mateus 4:1–2).

[7] Lucas 6:12–13.

[8] Mateus 14:13.

[9] Lucas 5:13–16.

[10] Mateus 14:23.

[11] Marcos 1:32–35.