tfionline Faça seu login

Setembro 1, 2015

Amar e Reverenciar a Deus

Compilação

[Loving and Reverencing God]

Bem-aventurado o homem que teme ao Senhor, que em Seus mandamentos tem grande prazer. Oh! Quão grande é a Tua bondade, que guardaste para os que Te temem. — Salmo 112:1; 31:19[1]

*

A Bíblia fala bastante sobre o temor a Deus, o que envolve dois princípios. Um deles se refere a sentir medo dEle e da Sua ira. O outro diz respeito a honrá-lO e reverenciá-lO. Um dos conceitos está ligado a receio ou pavor, é ter medo de Deus, e é usado principalmente em referência a pessoas que pecaram e vão enfrentar o julgamento de Deus. Estes são alguns versículos que apresentam esse conceito:

Os homens se meterão nas cavernas das rochas, e nas covas da terra, por causa da presença espantosa do Senhor, e por causa do esplendor da Sua majestade, quando Ele se levantar para sacudir a terra.[2]

Não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma. Temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.[3]

Este conceito é diferente do que é tratado de forma positiva, em reverência a Deus, que significa venerar, admirar, honrar e respeitar Deus. Alguns sinônimos para temor nesse sentido são: admiração, encantamento, adoração, devoção, ter um alto conceito, ter em alta estima, deferência, reconhecimento. Temer a Deus dessa forma traz bênçãos e benefícios para nossas vidas.

O cristão salvo não precisa temer a punição pelos seus pecados, pois Jesus já recebeu o castigo sobre Si com Sua morte na cruz. Fomos perdoados dos nossos pecados e poupados do “salário do pecado” por meio da dádiva da salvação e da vida eterna com Deus.

Isso não nos isenta de sofrermos consequências pelos nossos pecados, nem significa que Deus tolerará o pecado deliberado e a desobediência às Suas leis morais. A Bíblia fala de punição e castigo. Nas Escrituras, a palavra castigo costuma ser usada no sentido de ensinamento ou algo que vai ensinar e formar o caráter pela censura ou admoestação, bem diferente da punição pelos pecados. O Senhor pode, por amor, nos castigar de alguma forma com o propósito de nos ensinar e nos formar. “O Senhor corrige a quem ama, e açoita a todo o que recebe por filho.”[4]

O temor a Deus é a reação certa que os crentes devem ter a tudo que Deus é e faz —no sentido de veneração, reverência, deferência, adoração devoção, admiração e respeito. Quando pensamos que Ele criou o universo, desde as maiores estrelas às partículas subatômicas, só podemos nos maravilhar com Seu poder e glória. Quando percebemos que apesar de sermos pecadores e, consequentemente, merecedores do Seu castigo, Deus, por amor tornou possível a salvação e a reconciliação, a reação correta é o louvor, a adoração, a honra, o amor, a obediência e a reverência. São formas de reconhecermos que Ele é Deus —Pai, Filho e Espírito Santo.

Os que amam o Senhor não precisam sentir medo dEle ou da Sua ira. Somos parte da Sua família, direito adquirido pela nossa fé em Jesus. Nossos pecados estão perdoados, de forma que não sofreremos o castigo divino. Fomos remidos. Nosso relacionamento com o Senhor é de amor, gratidão, louvor e adoração. Da mesma forma, é certo temermos o Senhor no sentido de Lhe dar nosso amor, de obedecermos à Sua palavra e de vivermos de forma a glorificá-lO, pois Ele é muitíssimo digno.—Peter Amsterdam

*

Digno és, Senhor nosso e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, pois Tu criaste todas as coisas, e por Tua vontade existem e foram criadas. — Apocalipse 4:11

 

O dever de todo o homem

Qual é o nosso principal trabalho? “Teme a Deus e guarde os Seus mandamentos, porque esse é o dever de todo o homem.”[5] Desde a vinda de Jesus, Deus resumiu tudo isso a “amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e o teu próximo como a ti mesmo”.[6] Estava incluído no “temer a Deus”, mas Ele transformou numa relação pessoal e amorosa entre Ele e cada um de nós. E em vez de temer a Deus, Ele disse para amarmos o Senhor! E em vez de apenas “guardar os mandamentos”, Ele disse para “amarmos o próximo como a nós mesmos, e que desses mandamentos depende toda a lei e os profetas.”[7]

É óbvio que, antes temos de amar a Deus para podermos ter amor para o nosso próximo. Não é possível amar os perdidos em outro país, ou os ímpios ou nossos inimigos e ninguém sem o amor de Deus sobrenatural, milagroso e que opera milagres no nosso coração. “Nós amamos a Deus porque Ele nos amou primeiro.”[8] Apenas isso nos dará amor suficiente pelos outros para estarmos dispostos a renunciar a tudo e irmos por todo o mundo pregar o Evangelho a toda a criatura. — A pessoas que nunca vimos, não falamos a sua língua nem conhecemos sua religião nem as diferentes raças, cores, e costumes. Para isso é preciso o amor de Deus. Portanto, têm que começar com isso, que é o que vai fazer toda a diferença.

Quando Jesus apareceu aos discípulos depois da crucificação, Ele perguntou a Pedro: “Simão, filho de João, você me ama realmente mais do que estes?” Disse ele: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”. Disse Jesus: “Cuide dos meus cordeiros”. Novamente Jesus disse: “Simão, filho de João, você realmente me ama?” Ele respondeu: “Sim, Senhor tu sabes que te amo”. Disse Jesus: “Pastoreie as minhas ovelhas”. Pedro deve ter ficado um pouco chateado, porque então lhe disse: “Simão, filho de João, você me ama?” Pedro ficou magoado por Jesus lhe ter perguntado pela terceira vez “Você me ama?” e lhe disse: “Senhor, tu sabes todas as coisas e sabes que te amo”. Disse-lhe Jesus: “Cuide das minhas ovelhas”.[9]

É preciso amar o Senhor para poder amar o próximo. Por isso, a primeira pergunta deve ser: “Será que amo o Senhor o suficiente? Será que amo Você o suficiente, Senhor, e estou ficando bem pertinho de Você, o Pastor, buscando a Sua vontade, aos Seus pés, no caminho certo, no caminho que Você sabe ser o melhor? Será que estou seguindo no Seu caminho, seguindo as Suas pegadas?”

Se ficarmos perto do Pastor, Ele prometeu nos guiar a pastos verdejantes às águas tranquilas, e a refrigerar a nossa alma. Ele vai cuidar de nós. E mesmo no vale da sombra da morte não temeremos mal algum. Ele preparará uma mesa diante de vocês na presença dos seus inimigos, ungirá a sua cabeça com óleo. Mesmo a Sua vara e o Seu cajado nos confortarão com alguns golpes de vez em quando se sairmos da linha. Não parece ser muito confortável, mas por vezes a vara é um conforto.[10]

Se ficar próximo ao Pastor, você será bem alimentado, bem cuidado e bem protegido. Por que razão os pastores têm ovelhas? Para terem resultados, fruto! “Nisto é Deus glorificado, em que deis muito fruto.”[11] E como você vai dar fruto? Primeiro, nós amamos a Deus. A questão é, qual o nosso grau de amor por Deus? Estamos obedecendo a Ele? Estamos seguindo o Senhor bem de perto? Estamos amando nosso próximo o suficiente para dar muito fruto?

É isso o que devemos nos perguntar: “Será que eu amo o Senhor o suficiente? Estou perto dEle o suficiente?  Estou seguindo e obedecendo ao Senhor, seguindo Suas pegadas bem de perto, sem me desviar ou embrenhar na floresta?”

Precisamos colocar nossas prioridades na devida ordem. Precisamos sentar e fazer as contas. Por isso gosto de registrar estatísticas e fazer um balanço, para sabermos qual a nossa situação. Qualquer negociante que não fizer um inventário de vez em quando para ver como vão as coisas pode vir a perder o negócio. Ele poderia estar perdendo dinheiro e estar a caminho da falência sem saber. É preciso fazer a contabilidade, entre vocês e com Deus. E registrar o progresso, os resultados e frutos para saberem se estão avançando ou regredindo, e entenderem a sua situação.

E por último e mais importante, devemos nos lembrar que “só uma coisa é necessária; e Maria escolheu a boa parte, a qual nunca lhe será tirada.”[12] Ela sentou-se aos pés de Jesus e ouviu o que Ele tinha a dizer. Essa é a única coisa realmente necessária: ouvir o Senhor, sentar-se aos Seus pés, ouvir o que Ele tem a dizer, e ouvir a Sua Palavra.

Senhor, ajude-nos a lembrar que a Sua Palavra tem prioridade, que o Seu amor vem primeiro, e o Seu amor é manifestado na Sua Palavra, na Palavra amorosa que é a base da nossa vida e trabalho para Você. Todo o nosso dever e obrigação é amar Você e os outros, amar a Sua Palavra e amar as pessoas com a Sua Palavra.—David Brandt Berg

Publicado no Âncora em setembro de 2015.


[1] RC.

[2] Isaías 2:19.

[3] Mateus 10:28.

[4] Hebreus 12:6.

[5] Eclesiastes 12:13.

[6] Mateus 22:37–39.

[7] Mateus 22:40.

[8] 1 João 4:19.

[9] João 21:15–17.

[10] Salmo 23.

[11] João 15:8.

[12] Lucas 10:42.