tfionline Faça seu login

Outubro 28, 2020

Sede de Deus

Dennis Edwards

[Thirsting for God]

Durante a leitura do Salmo 102, a frase: “Sou semelhante ao pelicano no deserto”[1] fez-me pensar no que exatamente o salmista quis dizer com isso.

Lembrei-me de um documentário de vida selvagem na África que assisti uma vez. Após uma chuva forte na Primavera, formava-se uma lagoa no semiárido, junto à qual os pelicanos adultos faziam seus ninhos e criavam os filhotes. Pouco a pouco a água secava durante o Verão, então os pelicanos adultos iam embora levando consigo os filhotes capazes de voar. No entanto, os mais novos que não conseguiam acompanhar o voo ficavam junto à lagoa cada vez mais seca, vindo a perecer quando a área voltava à sua condição semidesértica.

O autor do Salmo parece ilustrar o seu anelo por Deus, dizendo que nós, como um pelicano moribundo, sedento e precisando de resgate, buscamos a ajuda de Deus em momentos de tribulação e angústia.

Essa passagem traz à memória um outro Salmo: “Como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus! A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus? As minhas lágrimas servem-me de mantimento de dia e de noite, porquanto me dizem constantemente: Onde está o teu Deus?”[2] A maioria dos estudiosos considera Davi, rei de Israel, o autor dessas palavras. Fazem a comparação do seu anelo e necessidade de Deus à de um cervo em busca de um ribeiro onde matar a sede. Nós precisamos da presença de Deus; nós precisamos do Seu Espírito no nosso íntimo para nos dar felicidade e preencher o doloroso vazio no nosso coração criado por Ele e que apenas Ele pode preencher.

Para aquele que busca a presença de Deus, Ele diz: “E buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração”.[3] No Sermão da Montanha, Jesus disse: “...os que têm fome e sede de justiça ... serão fartos”.[4]

O autor do Salmo 42 repete que a sua alma está abatida. “Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim?”. [5] Ele sente seu espírito seco, porém não se deixa vencer. Ele clama a Deus por misericórdia e auxílio, e O lembra das promessas feitas aos Seus filhos. “Todas as tuas ondas e vagas têm passado sobre mim”.[6] Dá a impressão que ele se sente como um náufrago sem chance de voltar à superfície. Mas então ele diz: “Contudo, o Senhor mandará de dia a sua misericórdia, e de noite a sua canção estará comigo: a oração ao Deus da minha vida”.[7] Ele menciona a Deus a Sua misericórdia e guarda a Palavra de Deus durante a noite, em canção e oração.

Por fim, o autor diz para si mesmo que não deve perder a esperança no seu Deus, e conclui com a canção: “Espera em Deus, pois ainda o louvarei. Ele é a salvação da minha face e o meu Deus”.[8] Por favor, não perca a esperança em Deus se estiver desanimado e não vir uma luz no final do túnel. Deus ama você e fará tudo contribuir para o bem, como sempre fez. Não perca a esperança! Clame a Ele de todo o coração. Deus está próximo de todos nós, como o apóstolo Paulo tão sabiamente afirmou: “...para que buscassem ao Senhor, se, porventura, tateando, o pudessem achar, ainda que não está longe de cada um de nós; porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos”.[9]

Levante as mãos em louvor a Deus, ao Deus de toda a carne. Ele o ama e cuidará de você. Confie nEle; medite nas Suas promessas, e a Sua Palavra será “uma lâmpada para os seus pés e uma luz para o seu caminho”.[10] Porque “O caminho do justo é como a luz da aurora, que brilha mais e mais até ser dia perfeito”.[11] Ou, como disse o apóstolo Pedro: “E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia esclareça, e a estrela da alva apareça em vosso coração”[12] — e o seu coração e mente sejam iluminados pelo poder do Espírito Santo.

Lembremo-nos das palavras de C. S. Lewis: “Se temos um anelo que nada no mundo satisfaz, a explicação mais provável é que nós fomos criados para um outro mundo”. Ou, como o autor da epístola aos Hebreus diz: “Mas em vez disso, esperavam eles uma pátria melhor, isto é, a pátria celestial. Por essa razão Deus não se envergonha de ser chamado o Deus deles, pois preparou-lhes uma cidade”.[13]

Continue desejando a Deus e tendo sede de Deus, e Ele fará a Sua parte e lhe preparará um lugar.[14]

Ao final de um longo dia e da cansativa jornada,
Descansarei na minha abençoada morada.
Onde Aquele que amo espera por mim,
Quando a estrada da vida chega ao fim.[15]


[1] Salmo 102:6. Salvo indicação contrária, todos os versículos são da versão RC da Bíblia Sagrada.

[2] Salmo 42:1–3.

[3] Jeremias 29:13.

[4] Mateus 5:6.

[5] Salmo 42:5, 11.

[6] Salmo 42:7.

[7] Salmo 42:8.

[8] Salmo 42:11.

[9] Atos 17:27–28.

[10] Salmo 119:105.

[11] Provérbios 4:18.

[12] 2 Pedro 1:19.

[13] Hebreus 11:16 NVI.

[14] João 14:2: “Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar.”

[15] Trecho da canção “At the End of the Road”, de A. H. Ackley.