tfionline Faça seu login

Janeiro 13, 2015

O silêncio de Deus

Uma compilação

A minha alma descansa somente em Deus; dEle vem a minha salvação. — Salmo 62:1[1]

 

O silêncio de Deus

Uma mulher cananeia, natural dali, veio a ele, gritando: "Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim! Minha filha está endemoninhada e está sofrendo muito".

Mas Jesus não lhe respondeu palavra. Então seus discípulos se aproximaram dele e pediram: "Manda-a embora, pois vem gritando atrás de nós". Ele respondeu: "Eu fui enviado apenas às ovelhas perdidas de Israel".

A mulher veio, adorou-o de joelhos e disse: "Senhor, ajuda-me!"

Ele respondeu: "Não é certo tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos". Disse ela, porém: "Sim, Senhor, mas até os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos".

Jesus respondeu: "Mulher, grande é a sua fé! Seja conforme você deseja". E naquele mesmo instante a sua filha foi curada.—Mateus 15:22–28[2]

*

Eu sempre fiquei impressionado com a mulher cananeia em Mateus 15:21–28. Como ela conseguiu encarar o silêncio de Jesus diante de uma necessidade tão grande? Como ela conseguiu ficar firme ali na frente do Deus vivo? Ela podia tocá-lO. Sabia que Ele tinha o poder e autoridade para curar sua filha, pois O chamou de Senhor e se dirigiu a Ele como “Filho de Davi”. No entanto, Jesus “não lhe dirigiu palavra”. Ele ficou em silêncio.

O que eu acho extraordinário é como aquela desconhecida heroína da fé enfrenta o silêncio. Ignora as palavras dos discípulos. Abre mão da sabedoria da humanidade e desafia o abismo do silêncio… Sem temor e com coragem, ignora o silêncio. Helmut Thielecke diz: “O silêncio de Deus e de Jesus não é de indiferença. É o silêncio dos pensamentos mais nobres”.

O maior momento de silêncio na história da humanidade ocorreu no Calvário, quando Deus, o Pai, permaneceu em silêncio enquanto Seu Filho clamava: “Meu Deus, Meu Deus, por que Me desamparaste?” Essas palavras ressoaram e ecoaram pelos vales de Cedron e Geena (Vale do Filho de Hinom) nos arredores de Jerusalém, esmaecendo em um silêncio cada vez maior. Mas Deus estava por trás desse silêncio, planejando a destruição de Satanás, superando a incapacidade do Templo de perdoar o pecado, e desenhando um plano para conquistar o pecado e abrir caminho para o ser humano conhecer a Deus pessoalmente. Deus ressuscitou o Seu Filho, uma proeza que Ele tinha intenções de repetir para todos que viessem a invocar o nome do Seu filho.

Essa mulher cananeia, com olhos de fé, viu no silêncio de Deus a sua única esperança. Arriscou tudo, ignorou o silêncio e foi recompensada. A sua filha foi curada. — Craig Smith

 

Pausa para refletir

“Como a corça anseia por águas correntes, a minha alma anseia por ti, ó Deus. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. Quando poderei entrar para apresentar-me a Deus? Minhas lágrimas têm sido o meu alimento de dia e de noite, pois me perguntam o tempo todo: "Onde está o seu Deus?’”[3]

Vemos uma pessoa faminta pela palavra de Deus referindo-se a um período difícil em que está clamando a Deus apesar da dor, do pesar e da confusão. De todos os ângulos, parece que Deus ignora seus clamores, tanto que as pessoas ao seu redor dizem: “Onde está o teu Deus a quem oras?” Repare que as palavras parecem ter sido copiadas de uma reflexão registrada em um diário:

“Por que você está assim tão triste, ó minha alma? Por que está assim tão perturbada dentro de mim? Ponha a sua esperança em Deus... A minha alma está profundamente triste; por isso de ti me lembro.”[4]

O salmista percebe que não existe silêncio, apenas uma resposta proveniente de Deus, mais profunda do que seria possível expressar por palavras. Deus está presente, falando, mas Suas palavras não repousam na superfície das águas da vida.

Certa vez, na faculdade, quando eu tinha 19 anos, fui convidado para uma festa no final de semana perto da universidade. Meu amigo Phil ia e me animou. Disse que seríamos cinco no carro, mas tinha espaço pra mim. Apesar de querer ir e ter me esforçado, não deu.

Eles saíram na sexta à tarde. Dois dias depois, quando já estavam entrando no campus, um carro vindo da direção contrária capotou e aterrissou em cima do veículo deles, matando os quatro no local.

Quando ouvi a notícia já no domingo à noite, fui ao centro esportivo ali perto e fiquei sentado sozinho no campo de futebol do outro lado da cerca, à luz do luar. Lamentava por meu amigo, refletia na brevidade da vida e no fato de que eu quase tinha morrido. Lembro de ter clamado a Deus para me ajudar a entender toda a situação, falar comigo... dizer algo... me dar alguma mensagem!

Silêncio.

Na verdade, foi um dos diálogos mais profundos que já tive com Deus. Ele falou no meu íntimo em um momento de comunhão, comunicando-se de uma maneira inédita, com uma abertura que eu nunca Lhe tinha concedido. Foi o início de muitas conversas, algumas até traumáticas.

Quatro meses depois, converti-me cristão. É muitíssimo importante considerar que nessas ocasiões não nos vemos diante de silêncio, mas de um hiato que nos incentiva a refletir e receber, ouvir as respostas e esclarecimentos mais profundos. — James Emory White

*

Deus sofre conosco, sente cada angústia, conhece nossas dúvidas. Ser infinito não significa apenas ser imensamente infinito, mas também infinitamente pequeno para entender e vivenciar o nosso silêncio e dor, não só na teoria, mas de uma maneira profunda e plena. Às vezes, no nosso sofrimento, até perdemos o fôlego no meio do silêncio e não nos resta nada pelo que orar. Deus sabe disso, e você pode ter certeza que, neste momento, ele está orando por você.—Derek Flood

 

Cultivando uma fé vintage

O mundo atual é acelerado, tudo transcorre em um ritmo rápido e crescente a cada ano. Você vive em um mundo de fast food, com forte ênfase na aquisição de bens e pouca atenção à qualidade dos produtos. As pessoas estão ficando cada vez mais habituadas a tudo acontecer rapidamente no mínimo de tempo.

Basta inserir uma moeda e a máquina libera uma bebida. Em uma lanchonete de fast food a refeição é servida em questão de minutos. Houve uma época quando levava bastante tempo para as pessoas construírem sua casa e conseguirem dinheiro para isso. Hoje em dia, as casas são levantadas com uma rapidez alucinante.

As pessoas querem trabalhar menos, adquirir mais e ter mais momentos de lazer. É possível, em questão de segundos, enviar mensagens instantaneamente, e-mails, ou uma grande quantidade de dados para qualquer lugar do mundo, ou até viajar para o outro lado do globo em questão de horas.

Esse ritmo de vida acelerado mudou as expectativas das pessoas quanto ao que é normal ou aceitável. Isso pode aumentar sua expectativa no plano espiritual também, como, por exemplo, de uma resposta imediata à oração, e manifestações espirituais imediatas.

Conheço a natureza humana. Sei o que é necessário para ocasionar maturidade e profundidade espiritual, para que a sua fé seja cultivada adequadamente e possa amadurecer, como um vinho raro e antigo. Atualmente as pessoas esperam que, ao orar com fé, receba a resposta imediatamente. No entanto, não era essa a Minha intenção original quando dei a promessa aos Meus discípulos.

Existem ocasiões quando atendo às orações de imediato, mas muitas vezes espero que deem tempo para o vinho da sua fé maturar e criar um sabor melhor.

O Meu povo tem sido colocado à prova no decorrer dos séculos, toda vez que não recebe respostas imediatas às suas orações. Eles esperaram milhares de anos por Mim, o Messias. Oraram e rogaram a Deus que Me enviasse. No entanto, Ele só pode fazê-lo no momento exato, quando tudo estava alinhado, as condições do mundo estavam certas, os corações preparados, o governo de acordo a facilitar a disseminação da Minha Palavra e a sobrevivência dos Meus seguidores. Eram muitas as condições que precisavam estar exatas, apesar de um grande número clamar fervorosamente por anos pela Minha vinda. Depois que vim, muitas dessas pessoas Me rejeitaram descaradamente porque suas orações não foram atendidas como esperavam, ou seja, na forma de um rei físico para Israel.

Vocês precisam perseverar, de modo que, quando tiverem feito a vontade de Deus, recebam o que Ele prometeu.[5] Paciência não é uma virtude fácil de cultivar. Na verdade, vai totalmente contra o modus operandi do mundo contemporâneo, tudo relacionado a velocidade, “já”, e respostas e resultados imediatos. Mas mesmo que vivam no mundo, não são do mundo, e a dinâmica espiritual não mudou. Paciência exige fé, que é a base da sua vida de dedicação a Mim.

Continuarão recebendo respostas à oração no momento que Eu considerar melhor. Mas também continuarão passando por provas e tribulações, e enfrentando os desafios quando Eu pareço estar em silêncio e as Minhas respostas tardam. Essa prova da sua fé vai operar paciência, que é um aspecto muito importante da fé.

A fé não se manifesta apenas quando se recebe respostas imediatas à oração, mas também quando é preciso suportar, esperar, ter paciência e perseverar, acreditando mesmo sem receber uma resposta ou ver alguma movimentação resultante das orações. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma.[6]

Lembrem-se que é preciso perseverar na fé, e a perseverança, ou paciência, é representativa de uma fé vintage, profunda e madura, encorpada e rica. — Jesus, em profecia

Publicado no Âncora em janeiro de 2015.


[1] NVI.

[2] NVI.

[3] Salmo 42:1–3 NVI.

[4] Salmo 42:5–6 NVI.

[5] Hebreus 10:36.

[6] Tiago 1:4.