tfionline Faça seu login

Agosto 30, 2018

Integridade—2ª Parte

Peter Amsterdam

[Integrity—Part 2]

Resistir à tentação

Todos somos tentados a fazer coisas erradas.

Uma boa regra é: se você não faria na presença de seu filho(a) ou esposo(a), ou alguém que você ama e respeita, então provavelmente é algo que não deve fazer. Se sentir a necessidade de esconder sua ação, então existe uma boa possibilidade de não estar agindo com integridade.

É importante lembrar que conviver com pessoas que não se comportam com integridade pode influenciar nosso comportamento e valores morais. A falta de moralidade alheia pode aumentar a probabilidade de nos comportarmos de forma similar. Com certeza, passar tempo com aqueles cujo padrão moral é inferior ao seu não necessariamente significa que o seu vá despencar automaticamente, mas torna mais difícil mantê-lo elevado.

É especialmente importante perceber que sua integridade, seu exemplo, pode ser uma influência positiva ou negativa quando você está em uma posição de autoridade ou destaque. Pais, pastores, líderes espirituais, coaches, figuras públicas, etc. servem de exemplo para os outros. As pessoas os observam e copiam seu comportamento, o que aumenta sua responsabilidade de se conduzir com integridade. No caso dos cristãos, a falta de integridade pode prejudicar nossa capacidade de compartilhar o Evangelho com os outros. Se não formos éticos em nossos negócios, se a integridade não for um ponto forte em nossas vidas, pode fazer com que a mensagem que compartilhamos pareça falsa. Reflete não apenas em nós, mas também em Jesus.

Como é uma vida íntegra?

Ter integridade é viver segundo os princípios bíblicos. É ser sincero, nobre, digno de confiança, honrado, cumpridor da sua palavra. É agir ou falar com transparência, como se alguém que você ama e respeita o observasse. É não falar negativamente sobre os outros nem fazer fofoca. É tratar os outros como gostaria que tratassem você. É viver de forma digna de honra e respeito.

Quem vive com integridade, cumula para si benefícios:

  • Quem demonstra ser confiável, ganha o respeito e confiança dos outros, o que pode ser um fator determinante na vida pessoal e profissional.
  • Ter a confiança e o respeito dos outros possibilita que você se torne uma influência positiva em suas vidas.
  • Seu relacionamento com os outros se fortalece, melhora, passa a ser mais feliz e mais gratificante
  • As pessoas estarão mais propensas a escutá-lo.
  • Como as pessoas confiam em você, não terão de se preocupar com suas motivações.
  • Os outros se sentirão mais à vontade para serem francos com você, sabendo que respeitará a confidencialidade do que lhe disserem.
  • Você vivenciará mais paz em sua vida.
  • Deus o abençoará.

Quando nos comprometemos a viver conforme nossos valores morais, é importante nos lembrarmos regularmente dos mesmos. Haverá vezes em que nos depararemos com situações em que uma opção que sabemos ser errada ou não totalmente certa pode parecer mais vantajosa, oferecer algo que queremos ou que nos trará certos benefícios. Nesses momentos, precisamos reforçar o padrão com o qual nos comprometemos, lembrando a nós mesmos de nossos valores, orando, citando a Palavra de Deus, ou qualquer outra coisa que nos ajude a nos reconectarmos com nossos padrões e reafirmarmos nosso compromisso com eles.

Como prevenção, conecte-se regularmente com a essência, isto é, os valores de Deus expressos em Sua Palavra — é um meio de fortalecer a integridade. A leitura regular da Bíblia, a oração e a comunicação com o Senhor não apenas nos aproximam dEle, mas fortalece nossa determinação de viver segundo Seus valores, adotá-los como nossos e permanecermos leais a eles.

O que deve fazer alguém que permitiu que seu padrão moral baixasse? E se ocorrer um lapso temporário no que diz respeito a viver segundo nossos valores, ou se os ignoramos por muito tempo? Talvez sintamos que nos afastamos de tal forma dos valores de Deus que não sabemos se podemos nos reconectar a eles. A boa notícia é que podemos buscar o Senhor, confessar nossos pecados, pedir Seu perdão, reconectarmo-nos a Ele e à Sua verdade. Podemos renovar nosso relacionamento com Ele e buscar Sua ajuda para fazermos uma reviravolta em nossas vidas. Pela Sua graça, com Sua ajuda e, talvez, com a dos outros também, nossa vidas podem mudar e poderemos reconstruir nossa integridade.

Às vezes, temos de pagar o preço pelo dano que nossa falta de integridade causou, fazendo restituição, admitindo nossos erros, pedindo perdão, trabalhando para restaurar a confiança dos outros e nossos relacionamentos. Custa algo reparar danos assim, mas vale a pena e há benefícios em se reconectar com o amor de Deus e ajustar nossos valores aos dEle.

Se formos íntegros, quando compartilhamos o Evangelho com os outros, será mais provável que escutem, pois nosso exemplo mostrará que não só cremos no que estamos dizendo, mas que também praticamos. A integridade é crucial ao nosso chamado de compartilhar Jesus com os outros. Viver com integridade é o segredo para uma vida melhor, um futuro melhor e uma eternidade melhor.

Senhor, quem habitará no Teu tabernáculo? Quem morará no Teu santo monte? Aquele que anda em sinceridade, e pratica a justiça, e do coração fala a verdade; aquele que não difama com a língua, nem faz mal ao seu próximo, nem contra ele aceita nenhuma afronta; aquele a cujos olhos o réprobo é desprezado, mas que honra os que temem ao Senhor; aquele que, mesmo que jure com dano seu, não muda; aquele que não empresta o seu dinheiro com usura, nem aceita suborno contra o inocente. Quem faz estas coisas nunca será abalado.” — Salmo 15

Publicado originalmente em maio de 2014. Adaptado e republicado em agosto de 2018.