tfionline Faça seu login

Novembro 26, 2014

A Fé que nos Conecta a Deus

Curtis Peter van Gorder

Um jovem amigo meu mencionou que estava tendo dificuldade em se conectar com Deus e crescer na sua vida espiritual. Ele me perguntou se eu teria algum conselho, visto que me considera um “veterano de guerra” de quarenta anos na fé.  Tive que lhe dizer que ainda sou uma obra em andamento. Apesar de fazer tempo que estou na fé, ainda estou aprendendo e combatendo o bom combate cada dia.

Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por Cristo Jesus. Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus.—Filipenses 3:12–14, NVI

Apesar de aprendermos com nossa experiência, nossa vida espiritual sempre precisa ser renovada e revitalizada. Jesus a assemelhou a comer cada dia o seu pão fresco e beber da fonte de águas vivas.

Contudo, descobri umas duas coisas nessas últimas semanas, que queria lhe passar: alguns novos hábitos que me ajudaram a me conectar com o Senhor e continuar a crescer na minha vida espiritual.

Um deles é encontrar um versículo cada dia no qual meditar durante o dia, memorizá-lo e compartilhá-lo com outros. Há várias maneiras de fazer isto. Eu posso estar assistindo a algo e o versículo chama a minha atenção, ou alguém talvez partilhe um versículo comigo, ou às vezes o encontro por acaso. O versículo que leio pode estar em um contexto específico, mas fala diretamente comigo com relação à minha situação. A Palavra transcende o tempo, o lugar e muitas vezes é uma chave para eu encontrar a solução que busco. Ela me dá a perspectiva celestial da qual preciso tão desesperadamente naquele momento. Quando estou orando, ajuda usar esses versículos e apresentá-los ao Senhor, visto que são Suas promessas para nós, e não podem falhar.

Para exemplificar o que digo, este é meu versículo para hoje: “Tu me fizeste conhecer os caminhos da vida e me encherás de alegria na tua presença.”[1] Acho significativo o fato de se encontrar no tempo passado—“Tu me fizeste conhecer” os caminhos. O quadro não de nós desesperados, lutando para receber orientação de Deus, mas sim fazendo o que Ele já nos mostrou para fazer, que é uma boa razão para lembrarmos de anotar quando Ele nos mostra algo, para podermos nos referir a isto mais tarde.

A próxima parte deste versículo nos mostra para estarmos cheios de alegria ao mantermos os olhos voltados para o céu. Ele nos enche de alegria. Receber e acreditar nesta alegria é o que nos cabe. Como o oleiro, Ele continua a nos moldar nos vasos que quer que sejamos. Cabe a nós sermos barro submisso para que possamos conter toda a Sua alegria e amor. Isto me ajudou a entender que comunicar com Deus não deveria ser difícil. Ele está tentando comunicar comigo mais do que eu estou tentando comunicar com Ele. O entendimento que este versículo me deu fez com que a oração, de repente, se torna-se mais ouvir do que falar—tem mais a ver com ter uma recepção clara do que uma transmissão.

Um versículo também pode levar a outro. A palavra “pleno” ecoou em um versículo sobre plenitude que encontrei: “Todos receberemos de Sua plenitude, graça sobre graça.”[2] Diz-se que graça pode ser um acrônimo de Presente Recebido Às Custas de Cristo (segundo explicação da palavra em inglês) Graça é o lindo amor que recebemos dEle. Quando alguém tem graça, significa que a pessoa se movimenta e age lindamente, e graça tem muito a ver com beleza. Quando estamos cheios de Jesus, somos lindos aos Seus olhos.

Outra coisa que compartilhei com ele do que descobri é a importância de lembrar o que Deus fez por nós. Começar com louvor e gratidão pelas nossas bênçãos é uma ótima maneira de nos conectarmos com Deus. Os japoneses têm por hábito quando encontram alguém novamente, de agradecer a pessoa pela última experiência: “Konaidawa, domo arigato gozaimasu,” que significa, “Obrigado pela última vez.” Quando lembramos o que as pessoas fizeram por nós, elas ficam mais dispostas a nos ajudar novamente. Tenho certeza que o Senhor também é assim. Todos apreciamos o apreço, não é?

Recebemos tantas bênçãos cada dia, e muitas vezes não percebemos como são um milagre. Nem sempre as apreciamos como deveríamos. A maioria das nossas lembranças são curtas, de modo que quando escrevemos o que o Senhor fez por nós, isso edifica a nossa fé de que Ele pode fazer milagres por nós no futuro. Isto pode nos levar a manter um diário espiritual[3] no qual anotamos nosso versículo e a aplicação dele, nosso progresso espiritual e registramos nossas orações e metas, e qualquer coisa que tenhamos no coração. As coisas parecem sair do abstrato e se concretizarem quando as escrevemos.

Descobri que dar esses pequenos passos cada dia para edificar minha fé fez uma diferença tremenda na minha vida espiritual cada dia.