tfionline Faça seu login

Abril 27, 2021

Esticar a Alma

Compilação

[Soul Stretching]

“E Deus é poderoso para fazer que lhes seja acrescentada toda a graça, para que em todas as coisas, em todo o tempo, tendo tudo o que é necessário, vocês transbordem em toda boa obra.”—2 Coríntios 9:8[1]

A nossa alma precisa ser esticada e expandida se quisermos desfrutar da abundância transbordante de Deus. Os gemidos resultantes do desconforto desse processo de expansão talvez abafem temporariamente a melodia celestial, mas no final criará um espaço terreno com o som muito melhor da salvação.

A vida de Jesus dificilmente poderia ser considerada abundante pelos padrões culturais modernos, mas Sua alma foi esticada através do sofrimento a proporções salvíficas globais. Sua dor criou espaço para nossa dor e a Sua vida abundante se tornou a nossa vida abundante. Talvez afrouxássemos um pouco mais as limitações se realmente acreditássemos que a expansão da alma pode ser a salvação da alma.

Nós adoramos um Deus que não só sofreu e morreu por nós, mas ressuscitou da Sua provação terrena coberto de cicatrizes. Um Deus que foi tatuado pelo mal, mas que essa estampa como uma medalha de vitória. Curiosamente, quando Tomé quis prova de que Jesus havia ressuscitado dos mortos, ele não queria uma demonstração dos novos poderes de ressurreição de Jesus, mas sim ver as cicatrizes de Seu sofrimento. …

Deus é um redentor. Ele não faz as coisas ruins desaparecerem, mas as transforma em algo bom. Como neonatologista, muitas vezes tenho que dar más notícias aos pais dos meus pacientes. Pode ser bastante deprimente, porque não vejo razão para que coisas ruins aconteçam com pessoas boas, mas depois me lembro que todos nós sofremos. A questão não é a coisa ruim inevitável, mas sim a coisa boa inesperada.

Sei que o meu Redentor vive, portanto, em cada situação difícil acredito que verei evidências de que Ele está vivo e bem. Em vez de me preocupar com a aparente ausência de Deus, agora fico entusiasmado com as novas e interessantes maneiras que manifestará a Sua presença. …

Jesus é como a galinha que quer reunir seus pintinhos; é o Pastor que se preocupa com as ovelhas assediadas e indefesas; a garrafa que recolhe todas as nossas lágrimas de dor sem derramar uma gota. Jesus não é um antiviral, mas sim o Grande Médico. ... Ele tem um jeito e abordagem gentil e humilde, e se aceitarmos Seu regime terapêutico, encontraremos descanso para as nossas almas.

Ele começará por nos sentar e enxugar cada lágrima de nossos olhos para que possamos ver claramente a direção que devemos seguir, na expectativa da promessa de remissão eterna, onde não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro nem dor.[2]—Erik Strandness[3]

Saindo da nossa zona de conforto

Todos nós temos a nossa zona de conforto, aquele conjunto de circunstâncias que nos fazem sentir confortáveis, ou pessoas com as quais aprendemos a interagir com facilidade e sem muito esforço consciente. Os limites dessa zona de conforto são muitas vezes demarcados pelos nossos temores, pelo que achamos que outros consideram um comportamento aceitável da nossa parte, e por aquilo que exige um certo esforço, portanto excede nosso nível de conforto.

A zona de conforto é agradável e aconchegante. O problema é que se permitirmos que determine nossas decisões, podemos acabar com pouco espaço para crescermos e nos desenvolvermos. Pode sufocar as oportunidades de experimentarmos tudo que a vida tem para oferecer, e se não continuarmos a nos esticar e expandir, corremos o risco de ficar acomodados no coração, na mente e no espírito.

O perigo de permanecermos dentro da nossa zona pessoal de conforto, quando o Senhor está tentando ampliar nossos horizontes, é que podemos gradualmente nos acostumar com uma existência medíocre na qual não exploramos todo o nosso potencial. Podemos perder a capacidade de ver além e até onde podemos ir, e não darmos mais aqueles emocionantes saltos de fé.

É desconfortável romper esses limites. Existem riscos, porque não sabemos o que vamos encontrar. Mas a satisfação e emoção de encarar novas pessoas, novas ideias e novas oportunidades, são coisas que nos tornam mais profundos e motivados por propósitos. Jamais conheceremos nosso potencial pleno se não estivermos dispostos a nos expandir além do que pensamos serem nossos limites.

A natureza do Senhor é tal que Ele às vezes perturba nossas zonas de conforto e introduz novos desafios na nossa vida. Isso nos obriga a reconsiderar as limitações que estipulamos para nós mesmos, para assim podermos ultrapassá-las. E ao fazermos isso, frequentemente descobrimos que não é tão assustador quanto imaginávamos, e muitas vezes até descobrimos um novo mundo de oportunidades e potencial que antes não achávamos ser possível.—Maria Fontaine

Correndo a corrida

Quando você está sendo esticado espiritualmente, sua fé em Deus cresce. Quando está sendo esticado mentalmente, suas antigas ideias são desafiadas e substituídas por novas ideias. Quando você está sendo esticado em relacionamentos, o egoísmo morre e o amor cresce. E aí, você está sendo esticado nesse momento?

Deus nos permite ter esse tipo de experiências que nos preparam para a corrida que nos chamou a correr na vida — e de vez em quando sua alma “bate contra a parede”. Não há quantidade de força ou pressão que mova o problema. Isto é o alongamento da alma! Muitas vezes, estes momentos não são a verdadeira prova; servem apenas para nos aquecer e nos preparam para desafios futuros. São pontos de referência destinados a evitar que entremos em pânico quando estivermos no meio da verdadeira corrida.

Lembre-se que Deus nunca permite que uma pessoa corra por Ele, ou com Ele, se não tiver sido esticada em seu pensamento, sua fé e sua capacidade de viver e amar. Portanto, quando você enfrentar um problema que simplesmente não se move, lembre-se de respirar fundo e de que Deus está alongando você. É o alongamento da alma que nos permite enfrentar situações que pensamos que nos matarão, mas não matam; suportar momentos em que pensamos que não vamos conseguir, mas conseguimos.

Mais cedo ou mais tarde, todos nós enfrentaremos momentos e relacionamentos difíceis, mas são apenas árduos exercícios da vida. Portanto, quando parecer que está sendo esticado até o ponto de ruptura, não desista. Entenda o que está acontecendo: é a preparação para correr e ganhar a corrida que Deus designou para sua vida.—Rhema

Fé e zona de conforto

A fé jamais crescerá enquanto tudo estiver tranquilo—com todas as necessidades atendidas, dando conta do trabalho sozinhos ou sabendo o que vêm pela frente—quando nos sentimos bem carregando todo o peso. Mas quando as coisas ficam difíceis e não conseguimos levar a carga é que a nossa fé se fortalece, porque precisamos passar a carga para Jesus e confiar.

Provérbios 3:5 diz: “Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento,” nem em sua própria força.[4] Isso significa deixar de carregar o fardo. E ao fazermos isso—ao dependermos mais de Jesus e confiar em Suas promessas—nossa fé se torna mais forte.

Precisamos estar dispostos a permitir que nossa fé seja esticada. A fé não tem chance de crescer quando tudo corre bem. Precisamos estar dispostos a expandi-la e optar por fazer coisas novas com as quais não nos sentimos confiantes.

Na Bíblia, vemos que as pessoas às vezes eram colocadas em situações difíceis que exigiam que expandissem a sua fé; outras vezes Deus esperava que elas a expandissem antes de Ele realizar o que elas não conseguiam.

Jesus disse que uma fé do tamanho de um grão de mostarda pode realizar coisas grandiosas. Às vezes é tudo o que conseguimos ter e, nessas horas, Ele usará o que tivermos. Mas acho que Ele não espera que nossa fé permaneça tão pequena. Acho que espera que ela aumenta conforme O vamos Se manifestar a nosso favor vez após vez. Acho que Ele quer que alimentemos nossa fé para que ela cresça e floresça e comece a dar fruto.

Deus tem planos e um propósito para cada um de nós, e Ele acrescenta passos que nos preparam para o que Ele nos tem reservado. Entretanto, é preciso ter fé para dar um passo rumo a esses planos, para agir e começar a construir o que Deus quer para nós. Se esperarmos até tudo estar “seguro”, poderemos sair perdendo.

Não importa em que ponto você se encontre na sua jornada na vida ou que imprevistos e mudanças tenham acontecido, você pode se determinar a ver cada situação “desnorteadora” como uma grande oportunidade para exercitar a fé!—Marie Story

Publicado no Âncora em abril de 2021.