tfionline Faça seu login

Julho 22, 2019

Disponível para Deus

Peter Amsterdam

[Available to God]

Todos encontramos inúmeras oportunidades e possibilidades para progredir na fé, nos relacionamentos, no trabalho, na vida interior e muito mais. Logicamente, o progresso em qualquer área requer determinação, disciplina, esforço, sacrifício e trabalho árduo, mas os resultados valem bem a pena. Vou falar aqui sobre os esforços e progressos relacionados à vida cristã, ou seja, daqueles que desejam viver em conformidade com a verdade de Deus e a orientação do Espírito Santo.

Acredito que a alegria, a satisfação e a felicidade que esperamos são intrínsecas a uma forte ligação com Deus. Não significa pensar só em Deus ou viver com a cabeça tão no “celestial” que não temos nenhuma utilidade terrena. Não. Temos responsabilidades que nos foram atribuídas por Deus. Temos a obrigação de cuidar de nós mesmos, de nossa família, dos que nos são próximos, e cumprir com os deveres relacionados ao nosso trabalho ou vocação. E tudo isso envolve uma grande quantidade de detalhes cada dia.

Para manter laços forte com Deus é preciso viver um relacionamento com Ele,  incluí-lO nos detalhes diários de nossas vidas e responsabilidades, da nossa família, de nossos relacionamentos com amigos e colegas de trabalho. É permitir que Ele participe de nossa vida e interaja conosco.

É nessa relação interativa com Deus que encontramos alegria, satisfação e felicidade, pois é nela que Seu Espírito se move livre e plenamente em nós. Quando intencionalmente procuramos viver em parceria com Ele, podemos ser usados na realização do Seu propósito e isso nos coloca na trajetória de Suas bênçãos.

Infelizmente, muitas vezes selecionamos a opção “piloto automático” em nosso relacionamento com o Senhor e O mantemos em segundo plano. Ele está lá e sempre que sentimos necessidade pedimos Sua ajuda ou orientação, mas não consegue ter o papel que deseja em nossas vidas. Deus não é o nosso “quebra-galho cósmico”,  a quem chamamos sempre que precisamos dar um jeito em uma besteira que fizemos ou realizar nossos desejos. Ele quer — e merece — ser ativo em nossas vidas, e quanto mais parceiros formos, mais nos beneficiaremos dessa parceria.

Um componente-chave nessa relação é estarmos disponíveis para Ele. Para Ele no sentido de sermos sensíveis para saber quando Ele deseja Se comunicar conosco, e prontos para Lhe escutar. Para Ele, no sentido de que devemos estar dispostos a ser agentes do Seu propósito na vida dos outros, um meio pelo qual Ele possa Se comunicar com aqueles que não ainda não têm um relacionamento com Ele.

Essa disponibilidade não acontece espontaneamente. Resulta da decisão consciente de nos mantermos sintonizados a Deus, de lhe darmos oportunidade de Se comunicar conosco — para o que é preciso dedicar tempo, buscar um lugar calmo e nos aquietarmos interiormente para estarmos receptivos ao que Ele nos quer dizer. Colocamo-nos espiritualmente disponíveis para ouvir o que Ele quiser nos dizer ou nos mostrar, mas também, em termos práticos, permitimos que Seu espírito nos use como Seus representantes para outros. É pelas nossas vidas, nosso amor, nossos exemplos, nossas palavras e nosso testemunho que as pessoas podem conhecê-lO e entrar na órbita do Seu amor.

Essa disponibilidade espiritual e prática é uma declaração ao Senhor da nossa parceria plena com Ele, e de que queremos incluí-lO em tudo o que fazemos. É um convite aberto para o Espírito Santo não apenas habitar em nós, mas participar ativamente em nossos pensamentos e ações. Claro que tal convite tem repercussões. Ao se conectar com aqueles que assim escolheram, o Espírito de Deus passa a trabalhar em suas vidas, e é quando as coisas acontecem e surgem as oportunidades.

Quando nos colocamos de verdade à Sua disposição, seguimos a Sua orientação e Ele nos guia conforme Seu propósito para, através de nossos dons e talentos, abençoar os outros — sejam membros de nossas famílias ou absolutos estranhos. Essa receptividade e aceitação de Sua orientação nem sempre produzem os resultados que nós desejamos, mas, nos colocam no caminho para a realização do Seu propósito.

Tornarmo-nos disponíveis para o Senhor é uma manifestação do Reino de Deus em nossas vidas. É a aplicação do que Jesus expressou quando ensinou a orar: “Venha o Teu reino, seja feita a Tua vontade, assim na Terra como no Céu.”[1] Essa disponibilidade nos coloca em harmonia com a vontade de Deus, com Seu reino e Seu Espírito. É nessa harmonia que encontramos satisfação, bem-estar e contentamento.

Publicado originalmente em janeiro de 2015. Trechos republicados em julho de 2019.


[1] Mateus 6:10.