tfionline Faça seu login

Agosto 2, 2022

Deixar de Se Comparar É uma Libertação

Compilação

[Freedom from Comparison]

Comparar-se aos outros rouba a nossa alegria e debilita a verdade. A comparação diz: “Não sou capacitado para o trabalho a ser feito”. A verdade é que Deus me deu tudo que preciso para os planos que Ele delineou para mim. A verdade da Sua palavra diz que Ele nos preparou para boas obras, e toda coisa boa vem dEle.—Autor desconhecido

*

Tudo começou quando comecei a analisar, de boas, a foto de uma amiga no Instagram.

Que foto fofa dela e do marido, pensei.

Meu marido e eu precisamos tirar algumas fotos juntos também.

Cliquei no coraçãozinho e arrastei.

Aí vi o anúncio do nascimento de um bebê. Continuei arrastando.

Em seguida, a foto de uma nova casa, de um prato de comida, de um aniversário, uma foto de família e uma galeria infinita de imagens “perfeitas”. Eu entrei apenas para postar uma foto e fechar o aplicativo.

Infelizmente, uma postagem se transformou em uma hora de clica, arrasta e se compara. Eu estava comparando a minha vida com a vida perfeita e ideal de outras pessoas. Mais uma vez eu tinha sido sugada para o buraco negro da mídia social, obcecada com as pessoas e suas vidas em vez de focar na vida que Deus me deu.

Acho que isso aconteceu com Raquel também — mencionada no livro de Gênesis. Ela estava em um relacionamento poliamoroso difícil com seu marido Jacó e sua irmã Lia. ... Jacó trabalhou sete anos para poder se casar com Raquel, mas quando chegou a hora de se unirem em sagrado matrimônio, Labão, seu pai, deu-lhe Lia.

Quando Jacó descobriu que se casara com a mulher errada, ficou enraivecido e confrontou Labão por ter sido enganado. Então Labão concordou em lhe dar Raquel em troca de mais sete anos de trabalho. Isso criou uma situação tensa, porque Raquel era amada e valorizada, e Lia não. Deus teve compaixão de Lia e lhe deu um filho. Raquel, porém, não podia engravidar. ...

Pelos comentários de Raquel em Gênesis 30:1, vemos que isso foi um peso grande demais para ela. “Quando Raquel viu que não dava filhos a Jacó, teve inveja de sua irmã. Por isso disse a Jacó: Dê-me filhos ou morrerei!”.

São palavras intensas, mas o ciúme, a inveja e a comparação podem produzir emoções intensas em todos nós. Embora os sentimentos de Rachel fossem naturais, normais e até justificados, a luta de se comparar acabou debilitando-a. … Infelizmente, devido ao ciúme e à comparação ela passou anos competindo com a irmã. Raquel desperdiçou muito tempo que poderia ter usado aproveitando a vida que Deus lhe dera.

No entanto, a vida de Lia era tudo menos perfeita. ... Mesmo tendo sido abençoada com filhos, tinha que aceitar o fato de não ter sido a primeira escolha de seu marido e ter que viver à sombra de Raquel.

Quando nos concentramos na vida de outros, não conseguimos ver a dor que muitas vezes está escondida bem fundo no coração da outra pessoa. Em algum momento de nossas vidas, teremos dificuldades de relacionamento, experiências traumáticas, problemas financeiros e perdas insuportáveis. Ainda que seja da natureza humana olhar para outras pessoas e fazer suposições sobre suas vidas, devemos entender que ninguém tem uma vida isenta de dificuldades.

Jesus é o nosso antídoto para comparação e ciúme. Fixar o olhar nEle nos ajuda a aceitar a realidade de que nossa vida não nos pertence. A nossa vida pertence a Deus, e Ele usa tanto a alegria quanto a tristeza para pintar uma linda imagem de quem Ele é para a humanidade. Ele é o Deus dos nossos momentos perfeitos e dos momentos mais dolorosos. Concentrar-se nEle nos fortalece para viver a vida que nos foi dada, em vez de ficarmos presos na armadilha da comparação.

Querido Deus, eu Lhe agradeço pela vida que Você me deu. Conforme vivencio alegria e dor, ajude-me a fixar meu olhar em Jesus e não na vida dos outros. Ajude-me a confiar e acreditar que Você está formando uma vida bela para mim que glorificará quem Você é. Em Nome de Jesus, amém.—Kia Stephens[1]

*

Muitas vezes você se julga com base na imagem que vê no espelho, mesmo sabendo que essa imagem é efêmera, superficial e está em constante mudança. Existe também a tendência de se deixar escravizar com base no que outros pensam de você, avaliando rigidamente seu desempenho pessoal e quase sempre se sentindo insatisfeito com algo que disse ou fez.

“Escravizado” é a palavra apropriada. Você é realmente um escravo quando tenta medir o seu valor com base em qualquer perspectiva que não seja a Minha. Avaliar o seu valor com base em sua aparência, o que você pensa de si mesmo ou o que os outros pensam, é sempre uma cilada. É como se você estivesse bateando em busca de ouro. Você vê apenas os grãos de areia que passam pela bateia e ignora as pepitas inestimáveis que estão ali. O ouro representa a parte que é eterna em você: sua alma. Ninguém consegue vê-la, apenas Eu, Aquele que planeja passar a eternidade com você. Embora invisível, uma alma bem nutrida pode melhorar a sua aparência. Conforme você descansa na certeza do Meu Amor infalível, seu rosto brilha com a Alegria da Minha Presença.

A Minha aprovação... baseia-se inteiramente na Minha justiça, que é sua por toda a eternidade. Quando se olhar no espelho, tente se ver como você realmente é — revestido de perfeita justiça, adornado em resplandecente aprovação.—Jesus[2]

*

Quando você se esforça demais para se alinhar a um determinado padrão, independentemente de este lhe cair bem ou não, ou até mesmo ser realista, abre mão da sua singularidade. Um dos muitos problemas associados a se comparar com outros é que você jamais será verdadeiramente feliz. Pode ser que experimente certa satisfação por haver mudado algo de que não gostava ou por estar acompanhando as últimas tendências, mas quanto tempo isso vai durar?

Se for felicidade o que busca, essa não é a forma de encontrá-la. A necessidade constante de satisfazer ao padrão do mundo leva à obsessão. Depois de fazer adaptações físicas, a pessoa muda sua personalidade para que combine com o novo corpo. A partir daí, trava-se uma luta constante para manter ou continuar trocando a aparência, conforme sopram os ventos da moda.

Não desperdice tempo e poupe-se de muitos incômodos e angústias. Livre sua mente da percepção dos outros do que é bonito. Deixe de lado tudo que você já pensou, viu ou ouviu falar e peça a Deus para lhe mostrar que qualidades e elementos específicos Ele lhe deu, que fazem de você uma pessoa única. Procure fortalecer essas características e tornará visível o que há de melhor e mais belo em você.—Revista Contato

*

Comparando-nos com os outros! Todos nós fazemos isso de uma forma ou de outra. Queremos ser melhores, mais fortes, mais bonitos, mais talentosos. Faz parte da natureza humana comparar e ser competitivo e, para alguns, torna-se um hábito profundamente arraigado.

Comparar nem sempre é ruim. Às vezes é necessário observar e analisar situações ou outras pessoas para aprender ou obter insights, e é uma coisa positiva se nos ajudar a contar nossas bênçãos e entrar em um estado de espírito positivo. Mas quando medir nossas experiências, problemas ou bênçãos contra as dos outros nos torna negativos, críticos ou insatisfeitos, é realmente uma coisa muito ruim!

As pessoas se comparam por diferentes razões e em diferentes graus. Algumas têm apenas uma “área problemática” que as incomoda, algo que não gostam em si mesmas. Outras são comparadoras crônicas que lutam constantemente com a sensação de que os outros são mais talentosos, mais bonitos, têm mais privilégios ou têm outra coisa que elas próprias desejam. Seja qual for o caso, Jesus é capaz de nos ajudar a superar essa mentalidade negativa que pode roubar nossa alegria e sentimento de realização.

É importante entender que o Senhor trabalha de maneira diferente com cada um de nós. Às vezes, o que é bom para uma pessoa não é bom para outra, então não podemos comparar e nos perguntar por que algumas pessoas parecem ter tanta facilidade, enquanto outras não. O Senhor é justo e acima de tudo amoroso. Ele sabe o que é melhor para você, e Ele tem seus melhores interesses no coração.

Cada um de nós é uma parte necessária do plano magnífico, vasto e geral de Deus. Da nossa perspectiva, não podemos ver como nos encaixamos no tecido geral da vida e no equilíbrio do universo, mas algum dia veremos como tudo é perfeito. Então entenderemos Suas razões para nos fazer do jeito que Ele fez, e seremos gratos.

Ele fez todo mundo diferente. Não há mais ninguém no mundo como você ou eu. Cada um de nós é Sua criação única, Ele nos ama e nos fez do jeito que fez por um bom motivo. Ele está feliz com a maneira como nos fez, e nós também devemos estar felizes e agradecidos.—Maria Fontaine

Publicado no Âncora em agosto de 2022.