tfionline Faça seu login

Maio 4, 2017

Autocontrole e Evitar Tentação—1ª Parte

Da série Roadmap

[Self-Control and Avoiding Temptation—Part 1]

Você já ouviu a expressão, “nem tudo que reluz é ouro”? Olha, com certeza é verdade com relação às várias tentações que aparecem em nossa vida. Algumas coisas parecem boas ou atraentes à primeira vista, mas a situação imediata pode nos dar uma ideia errada. Por exemplo, quando o desejo de se divertir está associado a uma atitude descuidada na qual “vale tudo”, a combinação pode ser perigosa e ter graves consequências.

O Diabo tenta nos enganar de várias formas para perdermos a perspectiva, tomarmos decisões precipitadas, ficarmos desequilibrados e sermos presas de excessos ou compulsões, ou de crises emocionais que podem ter repercussões negativas. Mas, tal como sabemos por meio da Palavra de Deus e da história, e de nossos próprias experiências pessoais, autocontrole e moderação são coisas importantes para mantermos uma vida feliz, bem equilibrada, centrada e produtiva.

A Bíblia nos diz para sermos conhecidos pela nossa moderação. Temperança também é um dos frutos do Espírito listados em Gálatas. Temperança é sinônimo de autocontrole.[1]

Auto controle é a capacidade de controlar o seu comportamento, especialmente suas reações e impulsos. Temperança é saber se conter diante de uma tentação ou desejo. Temperança também tem a ver com ter moderação em todas as coisas.—Peter Amsterdam

Como cristãos, precisamos estar em guarda contra as coisas que podem estragar nosso testemunho, ferir nossa testificação e nos atrapalhar em cumprir a missão, manchando nosso exemplo e reputação pessoal. Às vezes, um pequeno excesso ou falta de moderação que não estão alinhados com a Bíblia não parece ser nada demais. Podemos pensar que é apenas uma coisinha. Mas até as pequenas ações podem ter repercussões significativas, de modo que é importante medir as nossas ações pelo padrão dos valores cristãos que nos comprometemos a seguir na vida. A meta é se esforçar para fazer a vontade do Senhor tanto quanto estiver ao nosso alcance e fazermos as escolhas certas—vivermos de maneira correta, e alinharmos as nossas ações e escolhas com os nossos principais valores.

Se nós, cristãos, tivermos um relacionamento ativo com Deus, podemos contar com o fato de que Seu Espírito falará fielmente à nossa consciência quando formos tentados a reagir de maneira exagerada ou a sermos muito indulgentes. Mas se resistirmos consistentemente à convicção do Espírito Santo, logo logo não ouviremos mais a voz do Senhor claramente.

Quanto mais a pessoa ignora a orientação do Espírito do Senhor, mais fácil fica seguir o caminho escorregadio da desobediência. Daí a seriedade de falharmos em exercitarmos nos conter quando necessário, mesmo de pequenas maneiras.

Há várias tentações comuns no mundo hoje, e que, quando não são resistidas, levam ao pecado, incluindo:

  • Falha em controlar emoções negativas com relação aos outros, crises de ira e de ciúmes
  • Beber demais ou ter compulsão para beber
  • Abuso de substâncias
  • Cruzar os limites do que é uma conduta sexual apropriada
  • Fofoca, mentir ou trapacear
  • Dirigir sob a influência de álcool e outras drogas
  • Pornografia

E isso só para mencionar algumas coisas óbvias.

Claro que é muito mais fácil e seguro evitar se meter em encrenca com essas tentações temporárias evitando dar os passos na direção delas para começar. O Inimigo quer fazer um estrago nas nossas vidas, por isso devemos levar a sério e nos protegermos de seguir pelo caminho baixo e íngreme aonde as decisões erradas podem nos levar. É o diz o velho ditado: “Melhor construir uma cerca no topo do morro do que um hospital lá embaixo”. Essa “cerca” é o autocontrole, e cada um de nós decide quão forte ou fraca ela é de acordo com as decisões que tomamos.

Podemos fortalecer nosso autocontrole fazendo o seguinte:

  • Assumindo mais responsabilidade pelas nossas vidas.
  • Entendendo a dinâmica da escolha—suas repercussões e consequências; contando o custo das nossas decisões.
  • Não apenas viver o momento ou o dia de hoje, mas pensar no amanhã e no futuro.
  • Sendo verdadeiros às nossas convicções, e mantendo nossa vida espiritual e conexão com o Senhor e o Seu Espírito fortes.
  • Buscando ajuda ou conselho profissional, se necessário.

É claro que ninguém está acima de ser tentado. A Bíblia diz: “Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele lhes providenciará um escape, para que o possam suportar.”[2]

Uma das maneiras de nos valermos desse “escape” é mantendo uma forte conexão com o Senhor, que vai nos dar um temor saudável de sair do círculo de proteção de Deus através da desobediência. Além disso, como resultado do nosso relacionamento com o Senhor, teremos a convicção pessoal para medirmos nossas ações comparadas aos valores e éticas cristãs.

Cada um de nós decide o que vai ou não fazer, e somos nós que vivemos as consequências dessas decisões. Algumas pessoas são naturalmente mais agitadas e têm tendência a se arriscar. Se esses riscos estiverem dentro do razoável, exercitarmos uma restrição razoável e pedirmos ao Senhor para nos guiar e nos dar sabedoria, então seremos capazes de permanecer em um caminho seguro e aprendermos a medida que seguimos em frente. Mesmo se cometermos erros aqui e ali, se estivermos andando no temor do Senhor e orando por nossas decisões, podemos confiar que tudo o que Ele permitir ou introduzir em nossas vidas concorrerá de alguma forma para o nosso bem, seja nesta vida seja na próxima.

Aqui estão alguns dos princípios gerais de autocontrole que entram em jogo para levar uma vida equilibrada, segura e produtiva, que nos ajudará a tomar decisões boas e seguras.

Espiritualmente falando:

  • Estudar a Palavra de Deus para conhecer o conselho de Deus sobre as questões.
  • Permanecer perto do Senhor e se esforçar para seguir o que Ele lhe diz na Palavra, através de profecia e via Sua voz mansa e delicada.
  • Evitar tomar decisões impulsivas ou drásticas.
  • Basear suas decisões nos princípios da Palavra de Deus.
  • Pedir ao Senhor para falar com você sobre as suas decisões, padrões pessoais e escolhas de vida.
  • Reconhecer quando cometeu um erro e pedir ao Senhor—e aos outros, se necessário—perdão e ajuda sendo seu salva guardas, e então lutar para não deixar que a mesma coisa volte a acontecer.
  • Esforçar-se para desenvolver um bom caráter. E depois ser leal às suas convicções pessoais e ética moral. Isto está intimamente relacionado a integridade, assumir responsabilidade pela sua vida, e não permitir-se ser influenciado negativamente pelos outros.

Falando em termos práticos, a seguir tem algumas dicas:

  • Escolha os seus amigos com sabedoria. Uma indicação de que você está em boa companhia é se você “gostar de quem você é” (com relação ao seu exemplo cristão) quando estiver com alguém.
  • Evite colocar-se em situações nas quais sabe que será tentado a pecar. Por exemplo, se tiver tendência a beber demais, evite sair para se divertir com pessoas que bebem muito.
  • Pense no que está fazendo. Conte o custo. Pergunte-se se não vai se arrepender da decisão que está tomando ou de uma certa ação.
  • Esteja ciente de que qualquer pessoa pode desenvolver vícios. Não pense que nunca vai lhe acontecer.

Com relação a resistir às tentações, pode não ser tão fácil como podemos pensar, sem a ajuda do Senhor. Uma pesquisa da Faculdade de Administração de Kellogg e da Universidade de Amsterdã concluiu que “indivíduos acreditam que têm mais poder de se conter do que na verdade possuem, o que acaba levando-os  a decisões ruins. ... A pesquisa descobriu que [as pessoas testadas] ... não calcularam bem a quantidade de tentação que conseguiam lidar, o que as levou a um comportamento impulsivo ou ao vício. ... O segredo é simplesmente evitar quaisquer situações nas quais vícios e outras fraquezas sejam abundantes e, mais importante, que os indivíduos vejam com humildade a sua força de vontade.”[3]

Você talvez argumente dizendo que as tentações na vida são difíceis demais de serem evitadas. Seguem-se algumas boas reflexões sobre o assunto:

Já foi dito que as tentações na vida [são] simplesmente grandes demais! Ora, grandes demais para quem? É claro que são grandes demais para você!—Mas não para Deus que quer fortalecer você na sua hora de necessidade. É só com a ajuda dEle que alguém consegue resistir à tentação. Não é para você resistir sozinho. Por isso precisa estar em contato com Deus! Porque você não tem a vitória em si mesmo!—Virginia Brandt Berg

Tentação é o sentimento que temos quando nos deparamos com uma oportunidade de fazer o que sabemos lá no fundo que não deveríamos.―Steve Maraboli

Tentação é o diabo olhando através do buraco da fechadura. Submeter-se a ela é abrir a porta e convidá-lo a entrar.—Billy Sunday

Muitas vezes achamos que tentação é como ser levado a fazer coisas de maior peso como roubar, matar ou cometer adultério. Mas na maioria das vezes somos tentados a ser impacientes, avarentos, ciumentos, gananciosos ou uma série de outras coisas que consideramos pecados menores.—Joyce Meyer

Quando os cristãos se veem expostos à tentação devem orar a Deus para ajudá-los, e quando forem tentados não deveriam ficar desencorajados. Não é pecado ser tentado; o pecado está em cair na tentação.—D. L. Moody

Sempre que a tentação é superada isso representa um novo fundo de energia moral. Cada provação superada e enfrentada no espírito certo faz com que a alma fique ainda mais nobre e forte do que antes.—William Butler Yeats

A tentação pode até ser uma bênção para a pessoa quando lhe revele as suas fraquezas e a leve ao Salvador todo poderoso. Não fique surpreso, então, caro filho de Deus, se for tentado a cada passo da sua jornada terrena, e quase além do ponto em que consegue aguentar; mas você não tem que ser tentado além do ponto em que consegue suportar. E com cada tentação terá um escape.—F. B. Meyer

Roadmap era uma série de vídeos criada para jovens adultos da AFI. Publicado originalmente em 2010. Adaptado e republicado no Âncora em maio de 2017.


[1] Ver Gálatas 5:22–23.

[2] 1 Coríntios 10:13, NVI.

[3] De LifeSiteNews.com.