tfionline Faça seu login

Maio 17, 2022

A Mentalidade de Cristo

Compilação

[The Mindset of Christ]

“O Deus que concede perseverança e ânimo dê-lhes um espírito de unidade, segundo Cristo Jesus, para que com um só coração e uma só boca vocês glorifiquem ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.”—Romanos 15:5–6[1]

Como podemos esperar alcançar de alguma forma a mentalidade de Cristo? Não somos divinos por natureza como Ele é, e estamos constantemente engajados numa batalha do espírito contra a carne. Embora nossos corações estejam dispostos, a carne frequentemente vence, e estamos constantemente tenando ultrapassar nossos limites.

Jesus é o nosso exemplo. Durante a sua vida na Terra, Ele não professou nenhuma habilidade nem agenda própria, mas viveu exclusivamente para cumprir a vontade de Seu Pai. Ele fez isso em obediência inequívoca a Seu Pai e em total dependência dEle. Não se tratava absolutamente de uma dependência passiva, mas sim uma dependência na qual Ele assumiu a natureza de servo e vivia todos os dias em obediência ativa dentro do contexto de dependência completa.

Ter a mentalidade de Cristo é ser cético sobre qualquer senso de autossuficiência, e perceber que Cristo em nós é nossa força, nosso sustento, nossa sabedoria e nossa justiça. Jesus morreu e ressuscitou para que, tendo retirado nossa culpa, Ele pudesse ocupar esse lugar em nossas vidas como Senhor para nos dirigir e nos fortalecer. Isto significa que Sua vontade supera nosso conforto e conveniência em todos os níveis. A obediência a Ele, embora às vezes pareça custosa, sempre renderá a profunda satisfação que buscamos no nosso íntimo.

A semelhança de Cristo não é resultado de imitação, mas de derivação, como diz Paulo, “Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim”.[2] Deus exemplificou em Jesus Cristo a mentalidade, a atitude e a disposição que caracterizam a vida cristã. Se quisermos agradar a Deus e encontrar a realização que desejamos, então precisamos adquirir a mentalidade de Cristo. Isto não significa fazer todas as coisas certas nos momentos certos. Adquirir a mentalidade de Cristo é viver em uma relação amorosa de dependência e obediência a Ele, assim como Ele viveu com Seu Pai.—Brett McBride

Tornar-se como Jesus

Ser cristão significa fazer o que podemos para copiar Jesus. É certo que jamais seremos perfeitos nem isentos de pecado como Ele foi, pois temos contra nós a própria natureza humana. Entretanto, por sermos Seus seguidores devemos tentar imitá-lO na maneira que conduzimos nossas vidas e interagimos com os demais.

“Ser como Jesus” é tentar viver segundo Seus ensinamentos e exemplo. Significa aplicar nossa fé no dia a dia, procurar sempre alinhar nossos pensamentos, atitudes e reações às dEle. É também lembrar das Suas instruções e atitudes antes de tomarmos decisões ou tirarmos conclusões. Ser como Jesus implica interromper nossas atividades e processos de pensamento para comungar com Seu Espírito para que Ele possa viver em nós, orientar-nos e agir por nosso intermédio. Em suma, é seguir as pegadas do Mestre e fazer o melhor possível para ser como Ele em todas as áreas das nossas vidas.

Emular Jesus é algo profundo. É mais que apenas imitar Seu “estilo”. Requer que Ele viva em nós e nós vivamos nEle, como ensinou aos Seus seguidores: “Permanecei em Mim, e Eu permanecerei em vós. [...]Eu sou a videira, vós sois os ramos. Se alguém permanece em Mim, e Eu nele, esse dá muito fruto; sem Mim nada podeis fazer.”[3] Para sermos frutíferos, devemos viver em Jesus e permitir que Ele viva em nós.

Participamos da natureza divina de Deus quando cultivamos e mantemos um relacionamento profundo com Ele, absorvendo e aplicando Sua Palavra, buscando Sua orientação e esclarecimentos. Quando fazemos isso, nossos pensamentos e ações se alinham aos dEle. Foi a isso que se referiu o apóstolo Paulo ao escrever sobre ter “a mente de Cristo”,[4] o que implica pensar, reagir e agir como Jesus faria.

Quanto mais “permanecermos em Jesus”, com mais facilidade Sua natureza substituirá a nossa, e mais Seus pensamentos, atitudes, ações e reações serão também nossos. Assumiremos mais das Suas características, mais do Seu amor, bondade, mansidão e todos os outros frutos do Espírito.[5] Seremos mais com Ele.—Peter Amsterdam

Interface com Deus

Através do Espírito Santo, Deus nos fez “participantes da natureza divina”[6] para que possamos ter tudo o que é pertinente à vida e à piedade através do conhecimento dEle. Pense na mente humana como um computador, e no Espírito Santo como uma espécie de programa antivírus que pode ser carregado para o disco rígido humano. Uma vez que o programa é carregado, essa “mente” pode então afetar todos os sistemas do computador, retirando aplicativos nocivos e substituindo-os por aplicativos bons e funcionais.

Continuando a analogia, a mente de Cristo reescreve nossos discos rígidos para podermos entender, ou fazer interface com o próprio Deus. Passamos a ter novos desejos e qualidades, como humildade,[7] compaixão[8] e outros “frutos” divinos.[9] Temos um novo propósito que está alinhado ao de Deus[10] e podemos ver claramente a realidade diante de nossos olhos de que este mundo é temporário e cheio de falhas, e que nosso destino é o mundo eterno.[11]

Depois que o crente é salvo, o Espírito Santo lhe concede a compreensão e a esperança de uma herança futura, que é uma existência glorificada.[12] “Por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes; e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.”[13]

Enfim, ter a mente de Cristo não é algo reservado apenas às pessoas “perfeitas”. Todo e qualquer crente tem acesso à mente de Cristo através da fé. No entanto, ainda temos a velha mente. ... Nossa mente precisa ser constantemente renovada, distanciando-se da mente da carne e entrando na mente de Cristo.[14]

Em última análise, todos aqueles que têm a mente de Cristo, aqueles que pertencem a Deus, serão santificados, ou transformados pelo novo programa instalado pelo Espírito Santo.[15] O processo se desenrola durante toda uma vida, e Deus é fiel em levá-lo até à conclusão.[16]De Compelling Truth[17]

A mentalidade de um servo

“Quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo, e quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo”—essas são as palavras de Jesus aos Seus discípulos.[18] Nosso Salvador e Senhor não apenas disse isto, Ele o viveu. Ele lavou os pés de Seus discípulos—mesmo daquele que O trairia. Depois disso, Ele disse a todos eles: “Eu lhes dei o exemplo, para que vocês façam como eu lhes fiz”.[19]

A imagem de Jesus aos pés de Seus discípulos estabelece um poderoso precedente de contra-cultura para nós. Ela exemplifica a humildade diante de nossos olhos—uma das características da vida cristã. Mas o que a humildade significa para nós enquanto vivemos aqui e agora? …

Em nossas relações uns com os outros, devemos ter a mesma mentalidade de Cristo, que veio não para ser servido, mas para servir. Devemos ter humildade na relação com aqueles em nossas igrejas, pequenos grupos, famílias e bairros. Quando consideramos os outros mais importantes do que nós e servimos uns aos outros desta forma, a igreja funciona como Deus planejou.

Em última análise, humildade significa entregar o controle a Deus. Viver como se você estivesse no controle gera ansiedade. Mas ao reconhecer humildemente que Deus está no controle e você não está, terá paz ao caminhar com Ele, independentemente de suas circunstâncias. E isso liberta!

Cristo é o nosso exemplo máximo de humildade, “que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens.”[20] O Deus do universo não veio com um cetro, mas com uma toalha. Ele lavou os pés empoeirados e calejados de Seus discípulos, sendo que um deles era Seu inimigo. E se o Rei do céu pode servir desta forma, nós também podemos.

O Espírito Santo está dentro de nós, trabalhando com humildade em nossos corações para que possamos viver como Cristo. Com Sua ajuda, podemos praticar a humildade. Podemos ser realistas sobre nossas fraquezas, vulnerabilidades e problemas. Ao mesmo tempo, podemos ser realistas a respeito da grandeza do nosso Deus. Se O seguirmos, Ele promete que “receberemos a imperecível coroa da glória”.[21] Os tesouros terrenos desta vida certamente perecerão, mas a recompensa que Jesus tem para Seus humildes e fiéis servos nunca perecerá.—De Leading the Way[22]

Publicado no Âncora em maio de 2022.


[1] NVI.

[2] Gálatas 2:20 NVI.

[3] João 15:4–5 ESV.

[4] 1 Coríntios 2:16.

[5] Gálatas 5:22–23.

[6] 2 Pedro 1:4.

[7] Filipenses 2:5–8.

[8] Mateus 9:36.

[9] Gálatas 5:22–23.

[10] Lucas 19:10.

[11] 1 João 2:15–17.

[12] Colossenses 1:27.

[13] Romanos 5:2 NVI.

[14] Romanos 12:2.

[15] Hebreus 10:10, 14.

[16] Filipenses 1:6.

[17] https://www.compellingtruth.org/mind-of-Christ.html.

[18] Ver Mateus 20:26–27 NVI.

[19] João 13:15 NVI.

[20] Filipenses 2:6–7 NVI.

[21] 1 Pedro 5:4  NVI.

[22] https://ca.ltw.org/read/articles/2017/06/having-the-mindset-of-christ-jesus.