tfionline Faça seu login

Julho 27, 2022

A Clematis

Marty

[The Clematis Vine]

Eu comprei a muda em junho do ano passado. A senhora que me vendeu prometeu que ela cresceria rapidamente e produziria lindas flores num show de cores. Eu nunca duvidei da palavra dela. Voltei para casa contando em ver isto acontecer nos curtos meses de verão do Canadá. O vaso foi colocado na base de uma árvore no jardim com uma pequena treliça para ajudar a trepadeira a subir pelo tronco.

Passei umas poucas semanas regando e esperando, mas nada. Mais algumas, e ainda nada, nem uns poucos centímetros de crescimento. Ela tinha garantido que daria certo, mas eu não via nenhuma indicação de que isso fosse verdade. Com o passar do verão e o resto do jardim florescendo, aquela planta continuava sem crescer.

Com a chegada do inverno, as poucas plantas que não aguentavam o frio foram transplantadas e colocadas dentro de casa. Eu havia desistido da clematis semanas antes, e o toco seco agora parecia estar morto. Passando por ela, não sei por que, peguei o vaso e o levei junto com os outros. Talvez eu estava só decepcionado pensando no fato de que aquela planta deveria ter crescido, ou talvez fosse apenas esperança.

Nossa casa é pequena e o solário já estava lotado, então o pote acabou embaixo de uma mesa no canto. Passamos duas semanas fora no Natal e voltamos em janeiro. E como se faz quando se volta de viagem, fui pela casa toda conferindo se tudo estava em ordem. Ao entrar no solário, quando vi o vaso com a clematis parei. Havia agora dois galhos já com cerca de um metro de comprimento.

Não fazia sentido, porque eu tinha literalmente parado de tentar cultivar aquela planta há meses. Ainda assim, lá estava ela, linda e cheia de vida! Surpreso com essa mudança e me sentindo um pouco culpado por ter duvidado, entrelacei umas cordas na parede para a trepadeira subir. Agora, em meados de fevereiro, os galhos já estão no teto e começaram a produzir delicadas florações roxas.

Esta manhã, fiz uma pausa enquanto lia, e ao olhar para cima, meus olhos bateram nesta ilustração viva. Passamos o verão de nossas vidas cuidando do jardim de Deus, e muita coisa correu bem. Contudo, algumas coisas deixaram nossos corações pesados e nos decepcionaram. Algumas esperanças e expectativas que temos há tanto tempo aparentemente não se tornaram realidade.

Não tenho dúvidas de que nossos sonhos foram diligentemente cuidados e regados generosamente com a Palavra. E, apesar de eu ter desistido da clematis, nunca perdi a esperança de ver milagres. Recuso-me a permitir que a miopia e a dúvida me roubem isso agora.

Talvez Deus esteja me encorajando a aguentar um pouco mais, a continuar acreditando em Suas promessas, que mesmo no inverno, com poucos sinais aparentes de vida, um sistema de raízes está se desenvolvendo fora de vista e ajudará a prover o suporte necessário para aquilo que está adormecido brotar — no tempo de Deus.

Filipenses 1:6: “Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus”.

Sei disso por fé, mas estou como aquele homem que disse a Jesus: “Eu creio, Senhor! Ajude a minha incredulidade”. É engraçado ver como Deus respondeu a essa oração através da clematis. Minha expectativa com relação à promessa da vendedora estava limitada à curta janela de tempo do verão. O plano de Deus era diferente, sem muitos acontecimentos naquele momento. Mas agora vejo que Ele estava apenas começando a trabalhar no que havia por vir.

Jesus espera, de tantas maneiras, que creiamos sem ver. Ele disse a Tomé: “Porque me viu, você creu? Felizes os que não viram e creram”.[1]

Oração: Obrigado, Senhor, por me lembrar que Você atua além do tempo e do espaço. Admito que minha esperança ao longo dos anos tem sido ver o cumprimento das Suas promessas aqui nesta vida. Agora, que o tempo passa rapidamente, e logo não haverá mais, estou aceitando que alguns desses cumprimentos virão depois. Por favor, ajude-me a ser fiel aqui em Seu jardim, e a confiar, pois oro para que Você realize o Seu propósito da Sua maneira única e especial. Amém.

Hoje está 18 graus negativos e temos 30 cm de neve. As árvores perenes são as únicas mostrando que a vida continua. Nesta época do ano, o inverno parece que se prolonga e somos tentados a perder a esperança de que este mundo congelado mudará, ou sequer se transformará em um mundo cheio de vida. No entanto, sabemos que isso acontecerá — e logo, assim que chegar a primavera!

*

Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor.

Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.

Porque, assim como desce a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra, e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come,

Assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei.

Porque com alegria saireis, e em paz sereis guiados; os montes e os outeiros romperão em cântico diante de vós, e todas as árvores do campo baterão palmas.—Isaías 55:8–12, ACF.


[1] João 20:29, NVI.